segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Em minha busca


Nem sempre acordo com a vontade de correr
De alcançar logo os sonhos que sonhei
Às vezes, minha vontade mesmo, é de parar
Sem nada fazer, sem nada pensar, simplesmente parar
Acho que todo mundo é assim...

Não dá pra ser veloz o tempo todo
Quando estou muito envolvido e correndo pra chegar
Alcançar logo o topo da montanha que decidi subir
Sei que depois volta a vontade de parar
Sem nada fazer, sem nada pensar, simplesmente parar
Acho que todo mundo é assim...

Não quero ser melhor que ninguém
Não vou mentir e dizer que sou sempre veloz
A percorrer os caminhos que escolhi para mim
Porque nenhum caminhar se faz sem parar
Sem nada fazer, sem nada pensar, simplesmente parar
Acho que todo mundo é assim...

Mauricio Baniski

Busque a ajuda Divina!


Na próxima vez que o inimigo tentar cercá-lo com suas artimanhas de derrota, recite esses versículos, e ele fugirá.

Salmos 31.24 - "Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no Senhor."

Jó 11.16-19 - "Pois te esquecerás dos teus sofrimentos e deles só terás lembrança como de águas que passaram. A tua vida será mais clara que o meio-dia; ainda que lhe haja trevas, serão como a manhã. Sentir-te-ás seguro, porque haverá esperança; olharás em derredor e dormirás tranqüilo. Deitar-te-ás, e ninguém te espantará; e muitos procurarão obter o teu favor."

Salmos 138.7 - "Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida; estendes a mão contra a ira dos meus inimigos; a tua destra me salva."

Salmos 55.22 - "Confia os teus cuidados ao Senhor, e ele te susterá; jamais permitirá que o justo seja abalado."

João 14.1 - "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim."

Salmos 27.14 - "Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor."

Jeremias 29.11 "Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais."

Salmos 29.11 - "O Senhor dá força ao seu povo; o Senhor abençoa com paz ao seu povo."

Romanos 8.38-39 - "Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor."

Deuteronômio 33.27 - "O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos; ele expulsou o inimigo de diante de ti e disse: Destrói-o."

Gálatas 6.9 - "E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos."
Romanos 15.13 - "E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo."

Jó 5.19 - "De seis angústias te livrará, e na sétima o mal te não tocará."

I Corintios 10.13 - "Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar."

Jó 8.20 - "Eis que Deus não rejeita ao íntegro, nem toma pela mão os malfeitores."

II Corintios 4.8,9 - "Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos (...)"

João 14.27 - "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize."

Salmos 68.19-20 - "Bendito seja o Senhor que, dia a dia, leva o nosso fardo! Deus é a nossa salvação. O nosso Deus é o Deus libertador; com Deus, o Senhor, está o escaparmos da morte."

Salmos 4.3 - "Sabei, porém, que o Senhor distingue para si o piedoso; o Senhor me ouve quando eu clamo por ele."

Salmos 5.12 - "Pois tu, Senhor, abençoas o justo e, como escudo, o cercas da tua benevolência."

Isaías 43.1 - "Mas agora, assim diz o Senhor, que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu."

Filipenses 4.6 - "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças."

II Reis 6.16 - "Ele respondeu: Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles."

Isaias 40.11 - "Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio; as que amamentam ele guiará mansamente."

Salmos 37.28 - "Pois o Senhor ama a justiça e não desampara os seus santos; serão preservados para sempre, mas a descendência dos ímpios será exterminada."

Oséias 6:3 - "Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra."

Salmos 119.50 - "O que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica."

Provérbios 3.5-6 - "Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas."

Salmos 34.18 - "Perto está o SENHOR dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito oprimido."

Marcos 10.29,30 - "Tornou Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho, que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna."

Salmos 125.1 - "Os que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não se abala, firme para sempre."

Hebreus 10.35,36 - "Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão. Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa."

Salmos 34.10 - "Os leõezinhos sofrem necessidade e passam fome, porém aos que buscam o Senhor bem nenhum lhes faltará."

Salmos 116.6 - "O Senhor vela pelos simples; achava-me prostrado, e ele me salvou."

Esdras 8.22b - "A boa mão do nosso Deus é sobre todos os que o buscam, para o bem deles; mas a sua força e a sua ira, contra todos os que o abandonam."

Isaías 44.3 - "Porque derramarei água sobre o sedento, e torrentes sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade, e a minha bênção sobre os teus descendentes."

Filipenses 1.6 - "Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até o Dia de Cristo Jesus."

Isaías 51.11 - "Assim voltarão os resgatados do Senhor e virão a Sião com júbilo, e perpétua alegria lhes coroará a cabeça; o regozijo e a alegria os alcançarão, e deles fugirão a dor e o gemido."

Salmos 37.3 - "Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade."

Isaias 43.18-19a - "Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas. Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura, não o percebeis?"

Provérbios 21.21 - "O que segue a justiça e a bondade achará a vida, a justiça e a honra."

Salmos 37.18 - "O Senhor conhece os dias dos íntegros; a herança deles permanecerá para sempre."

Isaias 40.28-31 - "Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o seu entendimento. Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam."

Salmos 118.17 - "Não morrerei; antes, viverei e contarei as obras do Senhor."

Lucas 18.1 - "Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer."

Isaías 40.29 - "Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor."

João 14.12 - "Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai."

Filipenses 4.12,13 - "Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece."

Colossenses 3.23,24 - "Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo."

Filipenses 4.8 - "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento."

Isaias 46.4 - "Até à vossa velhice, eu serei o mesmo e, ainda até às cãs, eu vos carregarei; já o tenho feito; levar-vos-ei, pois, carregar-vos-ei e vos salvarei."

I Pedro 6.9 - "Nisso exultais, embora no presente por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações, para que uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo; a quem, não havendo visto, amais; no qual, não vendo agora, mas crendo, exultais com alegria indizível e cheia de glória, obtendo o fim da vossa fé: a salvação da vossa alma."

sábado, 28 de novembro de 2009

Venha para Jesus!


Não são poucos os que, entre nós, experimentam uma vida quebrada, com conseqüências principalmente no campo emocional. E muitos são os motivos para isso.

A solidão, por exemplo, tem produzido pessoas cansadas e, muitas vezes, incapazes de suportar o peso da situação. Solidão porque a pessoa nunca encontrou alguém com quem dividir a vida, porque quem havia assumido o compromisso de estar junto se foi, ou ainda em razão da morte de um dos cônjuges, pais , irmãos ou filhos.

Jesus disse: “Vinde a mim todos os que estais casados e sobrecarregados e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28). Nessa palavra Jesus não está prometendo o fim de todos os dissabores, nem a eliminação total das situações que levam alguns a sentirem-se derrubados, tamanho o peso. O que o Mestre está oferecendo é o alívio da situação.

Os motivos para o cansaço, assim como a sobrecarga podem continuar a existir. A interferência de Jesus, entretanto, pode deixar tudo mais leve. É a restauração da vida que Jesus propõe. Restauração, reparo e conserto.

Os dissabores, os acontecimentos negativos, as suas perdas, os seus fracassos ou as faltas que vieram sobre a sua vida, não significam o fim da história. Há uma maneira de se levantar, um caminho novo a trilhar, uma nova esperança a seguir. A vida não acabou apenas tomou rumos diferentes, rumos que precisam ser descobertos. Jesus é o grande e melhor amigo para todas estas horas. Volte-se à Ele.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A TEOLOGIA DO PERDÃO


Algumas vezes tive a oportunidade de ouvir ministros da Palavra de Deus, argumentarem sobre a necessidade do perdão, isso inclusive nos meios de comunicação. Certamente é uma das disciplinas bíblica, que deveriam ser mais salientadas, visto a sua importância, e sua dimensão para o crescimento e libertação dos traumas ocasionados pela “retenção” do perdão. Shakespeare certa vez afirmou: “guardar ressentimentos e mágoas de alguém, é como se tomássemos veneno, e esperar que o outro morra!!”, pretendo concordar com esta afirmação. O quê causa estranheza, da teologia do perdão, argumentada por alguns pregadores é: “O Evangelho nos mandar PEDIR perdão, para alguém que nos OFENDA”

Qual seria realmente a instrução bíblica sobre o perdão? O quê Jesus e os apóstolos realmente nos ensinaram sobre Perdão? Abordemos o caso:

1. Lucas 17:4 “e, se pecar contra ti sete vezes no dia e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me, perdoa-lhe”.

2. Marcos 11:25 “E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas”.
3. Mateus 6:14-15 “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós. Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas”.

Preste atenção agora neste verso: “E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem...” Lc 23:34. Veja bem, que Cristo NÂO está pedindo perdão!! Ele está INTERCEDENDO ao Pai por perdão. Uma outra passagem que pode ser distorcida em relação ao perdão,é quando Jesus, traído por Pedro na fatídica noite de sua paixão, agora ressureto, pergunta 3 vezes se Pedro o amava, e oferece a continuação do ministério terreno. Aqui Jesus NÂO está pedindo perdão a Pedro, pois este o ofendeu. Jesus está OFERECENDO perdão a Pedro.

Aqui está a estranheza desta posição: DEVEMOS PEDIR PERDÃO A QUEM NOS OFENDE? BIBLICAMENTE EU SOU CATEGÓRICO EM AFIRMAR: NÃO. Não existe base bíblica para sustentar tal teologia. A Bíblia nos orienta a sempre estar disponível a perdoar, a quem nos ofende. Uma vez ouvi uma irmã argumentar sobre perdão:

- estava argumentando determinado assunto, e a minha ouvinte me esbofeteou. Não tive dúvida, passado algum tempo liguei para ela e pedi perdão.

-Você a ofendeu? – argumentei

-Não- disse ela

-Então entendi! Você ofereceu perdão a ela?

-Não! Eu pedi perdão por ela ter me batido!!

Isso não é estranho? Pedir perdão a alguém que te ofendeu? Outro dia vi um pregador na TV inferir a mesma coisa, ele disse: “devemos “liberar” perdão. Outro dia um irmão me ofendeu,e eu não tive dúvida liguei para ele e disse:

– Olha, estou te ligando para pedir perdão.

- Por quê? - Perguntou o irmão

- Se você me ofendeu, eu devo (??? Sim ou não?) ter dito alguma coisa que te magoasse”

Aqui está a coisa errada .De duas uma:

• Ou ele REALMENTE ofendeu o irmão, ai sim carecia de pedir.

• Ou falta entendimento em relação à matéria, e está facilitando o irmão, em manter uma atitude errada.

Quando Jesus perguntou a Pedro: “Tu me amas”, Jesus inferia a seguinte questão:

Pedro, você aceita o meu perdão? Vamos deixar o passado para trás, e vamos viver um novo tempo? EU TE PERDOÔ. Pedro,Você me negou. Você está ERRADO. Você não é mais merecedor deste trabalho, mas vamos lá! Eu também deixo isto no passado, agora eu tenho um trabalho pra você!! Jesus aqui ensina a direcionar as pessoas erradas, em oferecer perdão, mesmo que seja indiretamente, conforme o nível de compreensão da pessoa.

Atente sobre isso:

• Oferecer perdão quando estamos balizados na Palavra. Pedir perdão quando estamos errados. Isso é bíblico

• Pedir perdão, quando a pessoa está errada, e nos ofende. É um modo infantil de instruí-la no erro.

Deus nos ofereceu perdão nos dando Cristo (Jo 3:16). Que ELE nos ensine a estar disponíveis a perdoar, e ao mesmo tempo estender as mãos aos que nos ofendem. Deus, nos dê discernimento para entendermos essas verdades!!

No amor de Cristo,
Gilson R. de Abreu

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A Igreja não existe mais


“Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.” At 2:43-47

Na época do surgimento da Igreja do Novo Testamento, a palavra igreja significava, apenas, uma reunião qualquer de um grupo organizado ou não. Assim, o texto nos revela que havia um grupo organizado em torno de sua fé (Todos os que criam estavam unidos) – todos acreditavam em Cristo.

Segundo o texto, os participantes do grupo do Cristo não tinham propriedade pessoal, tudo era de todos (tinham tudo em comum) – os membros desse grupo vendiam suas propriedades e bens e repartiam por todos – e isso era administrado a partir da necessidade de cada um; e se reuniam todos os dias no templo; e pensavam todos do mesmo jeito, primando pelo mesmo padrão de vida (unânimes); e comiam juntos todos os dias, repartidos em casas, que, agora, eram de todos, uma vez que não havia mais propriedade particular; e eram alegres e de coração simples; e viviam a louvar a Deus; e todo o povo gostava deles, e o grupo crescia diariamente. Diariamente, portanto, havia gente acreditando em Cristo, se unindo ao grupo, abrindo mão de suas propriedades e bens e colocando tudo à disposição de todos.

Essa Igreja era a Comunhão dos santos – chamados e trazidos para fora do império das trevas, para servirem ao Criador, no Reino da Luz.

Essa Igreja não precisava orar por necessidades materiais e sociais, bastava contar para os irmãos, que a comunidade resolvia a necessidade deles.

Deus havia respondido, a priori, todas as orações por necessidades materiais e sociais, fazendo surgir uma comunidade solidária.

O pedido: “O pão nosso de cada dia, dá-nos hoje.” (Mt 6.9) estava respondido, e diariamente.

Então, para haver o “pão nosso” não pode haver o pão, o bem ou a propriedade minha, todos os bens e propriedades têm de ser de todos.

Mais tarde, eles elegeram um grupo de pessoas, chamadas de diáconos – garçons, para cuidar disso (At 6.3). Então, diante de qualquer necessidade, bastava procurar os garçons, que a comunidade cuidava de tudo. Era o princípio do direito: se alguém tinha uma necessidade, a comunidade tinha um dever.

“Está doente algum de vós? Chame os anciãos da igreja, e estes orem sobre ele, ungido-o com óleo em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.” Tg 5.14-15

Os membros da comunidade do Cristo não precisavam orar por cura física, bastava procurar os presbíteros: lideres eleitos pelo povo, a partir de suas qualidades como cristãos (1Tm 3.1-7); que eles ungiriam com óleo, que representa a ação do Espírito Santo, porque é o Espírito Santo, quem unge e cura (Lc 4.18), e a pessoa seria curada; claro, sempre segundo a vontade do Senhor, porque essa é a regra de ouro: “Venha o teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na Terra como no Céu.” (Mt 6.10)

Os crentes em Jesus de Nazaré, não precisavam fazer varredura espiritual para ver se tinham qualquer problema, parecido com o que hoje é chamado de maldição hereditária, ou similar. A oração dos presbíteros ministrava o perdão de Deus, conquistado por Cristo na cruz e na ressurreição.

Deus havia respondido todas as orações por cura física pela instituição de presbíteros, que tinham a autoridade para ministrar o poder de Cristo sobre a enfermidade, segundo a vontade de Deus, dependendo, portanto, apenas, do que o Altíssimo tivesse decidido sobre a pessoa em questão.

Pelo que orava a Igreja do Novo Testamento?

“Mas eles ainda os ameaçaram mais, e, não achando motivo para os castigar, soltaram-nos, por causa do povo; porque todos glorificavam a Deus pelo que acontecera; pois tinha mais de quarenta anos o homem em quem se operara esta cura milagrosa. E soltos eles, foram para os seus, e contaram tudo o que lhes haviam dito os principais sacerdotes e os anciãos. Ao ouvirem isto, levantaram unanimemente a voz a Deus e disseram: Senhor, tu que fizeste o céu, a terra, o mar, e tudo o que neles há; que pelo Espírito Santo, por boca de nosso pai Davi, teu servo, disseste: Por que se enfureceram os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs? Levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram-se à uma, contra o Senhor e contra o seu Ungido. Porque verdadeiramente se ajuntaram, nesta cidade, contra o teu santo Servo Jesus, ao qual ungiste, não só Herodes, mas também Pôncio Pilatos com os gentios e os povos de Israel; para fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho predeterminaram que se fizesse. Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Servo Jesus. E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com intrepidez a palavra de Deus.” At 4.21-31

Oravam para que nenhum sofrimento os impedisse de glorificar a Cristo, de anunciá-lo com coragem e determinação – o Cristo que eles viviam diariamente pela fraternidade solidária. Oravam por missão!

Para além da Igreja que está sob perseguição, não há sinal de que essa Igreja ainda exista!

O que existe?

- A Comunhão dos santos existe na realidade da Igreja invisível. Mas, que relevância tem na história uma igreja invisível?

- Ajuntamentos cúlticos – há os que procuram se pautam pela Bíblia, e os que nem tanto.

- Instituições – (muitas e cada vez mais) há as que ainda tentam ser apenas um odre para o vinho, e as que nem tanto.

- Discursos sobre Cristo e sua obra – há os que falam sobre Jesus, segundo a Bíblia, e os que nem tanto.

- Conversões pessoais – há as que trazem marcas do Novo Testamento, e as que nem tanto.

- Missionários – há os que pregam a Cristo, sua morte e ressurreição, e os que nem tanto. O apoio ao missionário está mais para esmola do que para sustento.

- Ação social – há as que querem emancipar o pobre, por amor a Cristo, e as que nem tanto.

- Pastores e Lideres – há os que tentam alcançar o padrão dos presbíteros do Novo Testamento, e os que tanto menos.

- Títulos – em profusão, constratanto com a escassez de irmãos.

- Orações – principalmente, por necessidades materiais, sociais e de cura, que parecem não ser respondidas, pelo menos, não a contento.

- Milagres – (mas pessoais) a misericórdia divina continua se manifestando, porém, não se entende mais o princípio de sua ação.

- Ministérios – há os que são ministros (servos), e os que nem tanto.

- Riqueza – Instituições estão cada vez mais ricas, e há os que usufruem da mesma.

- Irmãos e irmãs que amam a Cristo e a Igreja, mas que estão cada vez mais confusos sobre o que estão assistindo – e há, cada vez mais, um amor em crise.

E ecoa a voz do Cristo: Contudo quando vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? (Lc 18.8)

Talvez, ainda haja tempo de pedir perdão!

Ariovaldo Ramos

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Vida


...'A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo:
Não deixe de fazer algo que gosta, devido à falta de tempo,
pois a única falta que terá,
será desse tempo que infelizmente não voltará mais.'
Mário Quintana

Pessoas não mudam


Todos tendem a permanecer sendo o que sempre foram; é preciso aprender a conviver com os outros como eles são.

Pessoas não mudam. Elas falam em mudar, mas não mudam. Na verdade, mudam apenas quando não têm outra alternativa. Essa é a tese de Po Bronson em seu livro O que devo fazer da minha vida? (Editora Nova Fronteira), onde relata quarenta histórias tiradas de 900 entrevistas com gente de tudo que é tipo.

Na verdade, Po Bronson é um otimista. Em novembro de 2004, a megacorporação IBM realizou sua conferência de “Inovação Global”, quando reuniu alguns dos melhores cérebros do planeta para propor avanços científicos e tecnológicos capazes de solucionar os grandes problemas mundiais. No topo da agenda estava o setor da saúde, que custa aos Estados Unidos 1,8 trilhão de dólares anuais (três vezes o PIB do Brasil). A grande conclusão a que chegaram foi que muito desta dinheirama seria economizada se as pessoas estivessem dispostas a mudar seus hábitos alimentares e seu estilo de vida. Mas uma pesquisa realizada para subsidiar a discussão mostrou que, mesmo diante da morte iminente, apenas uma entre 10 pessoas mudam seu jeito de pensar e agir.

Em outras palavras, para a pergunta: “Se fosse dada a você a opção de morrer ou mudar, o que escolheria?” De cada 10 pessoas, apenas uma escolheria mudar.

Sou tentado a concordar. Ao longo de mais de 20 anos de atividade pastoral, vi muito pouca gente mudando de verdade. Mudanças cosméticas, apenas comportamentais, vi aos montes – mas estruturais, foram poucas. As pessoas tendem a ser o mesmo que sempre foram: os tímidos continuam tímidos, os eufóricos permanecem eufóricos, as mulheres dominadoras seguem dominando, os maridos passivos continuam no cabresto, os trabalhadores continuam trabalhando, o hipocondríacos continuam lendo bulas e por aí vai. Freud explica. Literalmente.

Outro dia fui interpelado por uma jovem após uma de minhas palestras. Seu semblante demonstrava apreensão e sofrimento. Foi direta ao ponto: tinha um noivo um pouco violento, que já a havia agredido duas vezes, mas que sempre chorava, pedindo perdão e prometendo não repetir as agressões. Depois, fez a pergunta: “Pastor, devo me casar com ele?” Contrariando um procedimento padrão, respondi de maneira direta: “Apenas se estiver disposta a apanhar pelo resto da vida”. É claro que acredito que aquele sujeito pode mudar. Mas como não podemos ter certeza disso, disse à moça que deve se casar somente na hipótese de acreditar que poderá conviver com o marido, mesmo que ele não mude.

Depois daquela conversa, reavaliei minha fé, minha crença no poder transformador do Evangelho e na força da graça. Onde já se viu, um pastor pessimista quanto à mudança das pessoas! Logo eu, que acredito que a transformação pessoal à imagem de Cristo é essencial à mensagem cristã e que o maior problema do ser humano não é o diabo, nem o mundo mau, nem nada que exista do lado de fora, mas seu inimigo íntimo, que habita suas entranhas.

Após tantos anos presenciando conversões extraordinárias, cheguei ao ponto de duvidar que as pessoas mudam; ou pior – acreditar que a verdade maior é que as pessoas não mudam mesmo.

Precisei percorrer todo o caminho novamente. Revisei o que me ensinaram, e cheguei a conclusões preliminares que, pelo menos a mim, me fizeram mais sentido. Primeiro, considero que as mudanças de que fala o Evangelho não são necessariamente estruturais, na personalidade ou na índole das pessoas, mas em seus valores, seus amores, e portanto, seus objetos de devoção. A grande mudança do Evangelho não é “eu deixar de ser eu”, mas eu me render à vontade do meu novo Senhor, isto é, não mais o meu eu, mas o Cristo, que vive em mim.

Muita coisa na vida muda, mas continuamos sendo nós mesmos.

A conversão não implica na despersonalização. Ela não apaga tudo o que vivemos e nos fez o que somos. Mas após a rendição a Cristo, toda a vida passa por uma revisão, e, necessariamente, deixa-se de fazer muita coisa. E passa-se a fazer outras. Não por obrigação ou culpa, mas por uma nova orientação da vontade: afinal, mudou o objeto de devoção. As figuras “morte e ressurreição”, ou “novo nascimento”, que simbolizam o antes e o depois da experiência mística-espiritual cristã, significam passar a viver orientado para outra direção. Não é que tenhamos mudado – o que mudou foi a maneira como convivemos com o que sempre fomos, e provavelmente vamos continuar sendo.

O extraordinário nisso é que já não somos mais obrigados a ser o que sempre fomos.

Não estamos mais escravizados a realizar a sina da nossa personalidade nem a cumprir o vaticínio das marcas que a vida deixa. Somos livres: livres para nos reinventarmos, livres para virmos a ser e, inclusive, livres para continuar sendo o que sempre fomos. O que muda é que nos relacionamos de maneira tão diferente conosco mesmos, que as pessoas ao nosso redor dirão que parecemos outra pessoa. Conhecemos a verdade, e a verdade nos libertou. Na verdade, as pessoas mudam, mas em número, profundidade e velocidade inferiores ao que desejamos: pouca gente, mudanças razoavelmente superficiais e lentas. Portanto, aprenda a conviver com as pessoas do jeito que as pessoas são.

Não passe a sua vida tentando mudar os outros: seu cônjuge, seus filhos, seus amigos, seu chefe ou colegas no trabalho. Deixe isso nas mãos de Deus, à mercê da graça. Conviva a partir da gratuidade: paciência nos processos, perdão, mais amor, entrega e serviço do que cobranças, exigências e condições. Aprenda a se relacionar com os outros do jeito que eles são. Não tente fazer novas as pessoas. Faça novos acordos. Você vai ver como sua vida vai mudar. E os outros também.

Ed René Kivitz

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Investindo no lugar certo!


Esta árvore é uma Samaúma. Natural de terras brasileiras. Ela sempre teve uma importância muito grande, não apenas na natureza, mas também, para os povos que aqui viveram e vivem até os nossos dias.

Quem olha para esta árvore fica encantado com a força de seu tronco. Com a sua envergadura, suas cores mágicas e encantadoras, sua beleza imponente, sua grandeza e vitalidade.

Na verdade, quando olhamos para ela, pouca ou nada paramos para pensar em sua base, o que a nutre, dá equilíbrio e sustenta toda a sua estrutura.

Essa árvore tem raízes entrelaçadas, fortes e profundas e que são responsáveis pela sua sustentação, equilíbrio e nutrição.

O que sustenta esta árvore diante dos ventos contrários que recebe, das tempestades e atentados. O que a mantém em pé quando está pesada pelos seus frutos em tempo de abundância são as suas raízes. O que dá equilibro para a esta árvore diante de tantas possibilidades e oportunidades, tantos acontecimentos, incidentes e acidentes. O que a mantém firme e segura são suas raízes profundas. O que nutre a árvore não é a sua beleza, a altura ou a sua grandeza, mas a profundidade de suas raízes.

A nossa vida também, por mais importante, grandiosa, bela e significativa que pareça o que realmente é imprescindível não está no encanto dos olhos mas na profundidade de suas raízes. Uma vida com raízes firmes e profundas é sinal de uma vida bem equilibrada, sólida, permanente, bem sucedida, bem sustentada e nutrida. A sabedoria da vida está em investir na raiz, o resto é conseqüência.

Ser uma vida com raízes profundas é alimentar-se espiritualmente (Salmo1), através da oração e de uma busca diária em conhecer e obedecer a Palavra de Deus, é fazer do tempo presente um investimento para o futuro, lançando boas sementes de humanidade, cidadania e fé,preparando assim, uma colheita abençoada e prospera. É amar e respeitar sempre a Deus, em primeiro lugar e, ao seu próximo, como a si mesmo,amar e servir a natureza, a família, a Igreja e toda a cidade.

Muitas pessoas não investem em raiz porque leva tempo pra crescer, não aparece tanto, é preciso força, vontade e renuncia. Mas aqueles que o fazem, com certeza, nunca se arrependem.

Tome a atitude de investir na base, na raiz, ai você vai poder crescer bastante, sem temer as tempestades e os reveses do tempo.

Boa continuidade de semana pra você!


Pastor Mauricio Baniski

domingo, 22 de novembro de 2009

Você é uma obra de arte


Quando você nasceu, Deus não rogou uma praga para você ser tímido, distraído ou confuso.
Ele lhe proporcionou todas as ferramentas para você completar Sua criação.
Perguntado sobre como era criar uma obra de arte, Michelângelo respondeu:
"Dentro da pedra já existe uma obra de arte. Eu apenas tiro o excesso de mármore!"
Dentro de você já existe uma linda obra de arte, a mais bela do universo.
Seu grande desafio é retirar o excesso de mármore e completá-la.
Nós somos os artistas da nossa criação!
A grande verdade é que você é a pessoa que escolhe ser.
Todos os dias você decide se continua do jeito que é ou muda. A grande glória do ser humano é poder participar de sua autocriação.

Roberto Shinyashiki


sábado, 21 de novembro de 2009

25 mandamentos recíprocos


Os relacionamentos e as ações bíblicas que praticamos uns com os outros. Nunca foi do plano de Deus que “o pastor” ou os “pastores” ou “meia dúzia” de pessoas de tempo integral, se responsáveis pela edificação de uma igreja saudável. É tarefa de todos nós. O Novo Testamento apresenta uma agenda que temos que cumprir uns com os outros. Leia com atenção e medite em cada um dos textos apresentados.
A. Mandamentos que valorizam
1. Amem-se uns aos outros. João 13.34
2. Aceitem-se uns aos outros. Romanos 15.7
3. Saúdem-se uns aos outros. I Coríntios 16.20
4. Tenham igual cuidado uns pelos outros. I Coríntios 12.24-25
5. Sujeitem-se uns aos outros. Efésios 5.18-21
6. Suportem-se uns aos outros. Efésios 4.1-3
B. Mandamentos que protegem o Corpo contra poluição e infecção
7. Não tenham inveja uns dos outros. Gálatas 5.25-26
8. Deixem de julgar uns aos outros. Romanos 14.13
9. Não se queixem uns aos outros. Tiago 5.9
10. Não falem mal uns dos outros. Tiago 4.11
11. Não mordam nem devorem uns aos outros. Gálatas 5.14-15
12. Não provoquem uns aos outros. Gálatas 5.25-26
13. Não mintam uns aos outros. Colossenses 3.9-10
14. Confessem pecados uns aos outros. Tiago 5.16
15. Perdoem-se uns aos outros. Efésios 4.31-32
C. Mandamentos que contribuem para o crescimento dos outros
16. Edifiquem-se uns aos outros. I Tessalonicenses 5.11
17. Ensinem uns aos outros. Colossenses 3.16
18. Encorajem uns aos outros. Hebreus 3.12-13
19. Aconselhem-se uns aos outros. Romanos 15.14
20. Falem entre vocês com salmos, hinos e cânticos espirituais uns aos outros. Efésios 5.18-20
D. Mandamentos de serviço
21. Sirvam uns aos outros. Gálatas 5.13
22. Levem os fardos pesados uns dos outros. Gálatas 6.2
23. Sejam hospitaleiros uns dos outros. I Pedro 4.7-9
24. Sejam bondosos uns para com os outros. Efésios 4.31-32
25. Orem uns pelos outros. Tiago 5.16

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

EU TENHO UM SONHO - Discurso de Martin Luther King (28/08/1963)


Hoje é o dia da consciência negra, abaixo um dos maiores exemplos de alguém que lutou para que as pessoas fossem vistas além da cor de sua pele.

Martin Luther King (1929-1968), pastor norte-americano, Prêmio Nobel, um dos principais líderes do movimento americano pelos direitos civis e defensor da resistência não violenta contra a opressão racial.Foi escolhido líder do movimento a favor dos direitos civis das minorias após organizar o famoso boicote ao transporte público em Montgomery (Alabama), em 1955. Lutou por um tratamento igualitário e contribuiu para a melhoria da situação da comunidade negra, mediante protestos pacíficos e discursos enérgicos sobre a necessidade do fim da desigualdade racial. Em 1963, dirigiu uma marcha pacífica do monumento a Washington até o Lincoln Memorial, onde pronunciou seu discurso mais famoso: "Eu Tenho um Sonho".

Abaixo o seu discurso:


"Eu estou contente em unir-me com vocês no dia que entrará para a história como a maior demonstração pela liberdade na história de nossa nação.

Cem anos atrás, um grande americano, na qual estamos sob sua simbólica sombra, assinou a Proclamação de Emancipação. Esse importante decreto veio como um grande farol de esperança para milhões de escravos negros que tinham murchados nas chamas da injustiça. Ele veio como uma alvorada para terminar a longa noite de seus cativeiros.
Mas cem anos depois, o Negro ainda não é livre.
Cem anos depois, a vida do Negro ainda é tristemente inválida pelas algemas da segregação e as cadeias de discriminação.
Cem anos depois, o Negro vive em uma ilha só de pobreza no meio de um vasto oceano de prosperidade material. Cem anos depois, o Negro ainda adoece nos cantos da sociedade americana e se encontram exilados em sua própria terra. Assim, nós viemos aqui hoje para dramatizar sua vergonhosa condição.

De certo modo, nós viemos à capital de nossa nação para trocar um cheque. Quando os arquitetos de nossa república escreveram as magníficas palavras da Constituição e a Declaração da Independência, eles estavam assinando uma nota promissória para a qual todo americano seria seu herdeiro. Esta nota era uma promessa que todos os homens, sim, os homens negros, como também os homens brancos, teriam garantidos os direitos inalienáveis de vida, liberdade e a busca da felicidade. Hoje é óbvio que aquela América não apresentou esta nota promissória. Em vez de honrar esta obrigação sagrada, a América deu para o povo negro um cheque sem fundo, um cheque que voltou marcado com "fundos insuficientes".

Mas nós nos recusamos a acreditar que o banco da justiça é falível. Nós nos recusamos a acreditar que há capitais insuficientes de oportunidade nesta nação. Assim nós viemos trocar este cheque, um cheque que nos dará o direito de reclamar as riquezas de liberdade e a segurança da justiça.

Nós também viemos para recordar à América dessa cruel urgência. Este não é o momento para descansar no luxo refrescante ou tomar o remédio tranqüilizante do gradualismo.
Agora é o tempo para transformar em realidade as promessas de democracia.
Agora é o tempo para subir do vale das trevas da segregação ao caminho iluminado pelo sol da justiça racial.
Agora é o tempo para erguer nossa nação das areias movediças da injustiça racial para a pedra sólida da fraternidade. Agora é o tempo para fazer da justiça uma realidade para todos os filhos de Deus.

Seria fatal para a nação negligenciar a urgência desse momento. Este verão sufocante do legítimo descontentamento dos Negros não passará até termos um renovador outono de liberdade e igualdade. Este ano de 1963 não é um fim, mas um começo. Esses que esperam que o Negro agora estará contente, terão um violento despertar se a nação votar aos negócios de sempre.

Mas há algo que eu tenho que dizer ao meu povo que se dirige ao portal que conduz ao palácio da justiça. No processo de conquistar nosso legítimo direito, nós não devemos ser culpados de ações de injustiças. Não vamos satisfazer nossa sede de liberdade bebendo da xícara da amargura e do ódio. Nós sempre temos que conduzir nossa luta num alto nível de dignidade e disciplina. Nós não devemos permitir que nosso criativo protesto se degenere em violência física. Novamente e novamente nós temos que subir às majestosas alturas da reunião da força física com a força de alma. Nossa nova e maravilhosa combatividade mostrou à comunidade negra que não devemos ter uma desconfiança para com todas as pessoas brancas, para muitos de nossos irmãos brancos, como comprovamos pela presença deles aqui hoje, vieram entender que o destino deles é amarrado ao nosso destino. Eles vieram perceber que a liberdade deles é ligada indissoluvelmente a nossa liberdade. Nós não podemos caminhar só.

E como nós caminhamos, nós temos que fazer a promessa que nós sempre marcharemos à frente. Nós não podemos retroceder. Há esses que estão perguntando para os devotos dos direitos civis, "Quando vocês estarão satisfeitos?"

Nós nunca estaremos satisfeitos enquanto o Negro for vítima dos horrores indizíveis da brutalidade policial. Nós nunca estaremos satisfeitos enquanto nossos corpos, pesados com a fadiga da viagem, não poderem ter hospedagem nos motéis das estradas e os hotéis das cidades. Nós não estaremos satisfeitos enquanto um Negro não puder votar no Mississipi e um Negro em Nova Iorque acreditar que ele não tem motivo para votar. Não, não, nós não estamos satisfeitos e nós não estaremos satisfeitos até que a justiça e a retidão rolem abaixo como águas de uma poderosa correnteza.

Eu não esqueci que alguns de você vieram até aqui após grandes testes e sofrimentos. Alguns de você vieram recentemente de celas estreitas das prisões. Alguns de vocês vieram de áreas onde sua busca pela liberdade lhe deixaram marcas pelas tempestades das perseguições e pelos ventos de brutalidade policial. Você são o veteranos do sofrimento. Continuem trabalhando com a fé que sofrimento imerecido é redentor. Voltem para o Mississippi, voltem para o Alabama, voltem para a Carolina do Sul, voltem para a Geórgia, voltem para Louisiana, voltem para as ruas sujas e guetos de nossas cidades do norte, sabendo que de alguma maneira esta situação pode e será mudada. Não se deixe caiar no vale de desespero.

Eu digo a você hoje, meus amigos, que embora nós enfrentemos as dificuldades de hoje e amanhã. Eu ainda tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano.

Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença - nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos, que os homens são criados iguais.

Eu tenho um sonho que um dia nas colinas vermelhas da Geórgia os filhos dos descendentes de escravos e os filhos dos desdentes dos donos de escravos poderão se sentar junto à mesa da fraternidade.

Eu tenho um sonho que um dia, até mesmo no estado de Mississippi, um estado que transpira com o calor da injustiça, que transpira com o calor de opressão, será transformado em um oásis de liberdade e justiça.

Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação onde elas não serão julgadas pela cor da pele, mas pelo conteúdo de seu caráter. Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho que um dia, no Alabama, com seus racistas malignos, com seu governador que tem os lábios gotejando palavras de intervenção e negação; nesse justo dia no Alabama meninos negros e meninas negras poderão unir as mãos com meninos brancos e meninas brancas como irmãs e irmãos. Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho que um dia todo vale será exaltado, e todas as colinas e montanhas virão abaixo, os lugares ásperos serão aplainados e os lugares tortuosos serão endireitados e a glória do Senhor será revelada e toda a carne estará junta.

Esta é nossa esperança. Esta é a fé com que regressarei para o Sul. Com esta fé nós poderemos cortar da montanha do desespero uma pedra de esperança. Com esta fé nós poderemos transformar as discórdias estridentes de nossa nação em uma bela sinfonia de fraternidade. Com esta fé nós poderemos trabalhar juntos, rezar juntos, lutar juntos, para ir encarcerar juntos, defender liberdade juntos, e quem sabe nós seremos um dia livre. Este será o dia, este será o dia quando todas as crianças de Deus poderão cantar com um novo significado.

"Meu país, doce terra de liberdade, eu te canto.

Terra onde meus pais morreram, terra do orgulho dos peregrinos,

De qualquer lado da montanha, ouço o sino da liberdade!"

E se a América é uma grande nação, isto tem que se tornar verdadeiro.

E assim ouvirei o sino da liberdade no extraordinário topo da montanha de New Hampshire.

Ouvirei o sino da liberdade nas poderosas montanhas poderosas de Nova York.

Ouvirei o sino da liberdade nos engrandecidos Alleghenies da Pennsylvania.

Ouvirei o sino da liberdade nas montanhas cobertas de neve Rockies do Colorado.

Ouvirei o sino da liberdade nas ladeiras curvas da Califórnia.

Mas não é só isso. Ouvirei o sino da liberdade na Montanha de Pedra da Geórgia.

Ouvirei o sino da liberdade na Montanha de Vigilância do Tennessee.

Ouvirei o sino da liberdade em todas as colinas do Mississipi.

Em todas as montanhas, ouviu o sino da liberdade.

E quando isto acontecer, quando nós permitimos o sino da liberdade soar, quando nós deixarmos ele soar em toda moradia e todo vilarejo, em todo estado e em toda cidade, nós poderemos acelerar aquele dia quando todas as crianças de Deus, homens pretos e homens brancos, judeus e gentios, protestantes e católicos, poderão unir mãos e cantar nas palavras do velho spiritual negro:

"Livre afinal, livre afinal.

Agradeço ao Deus todo-poderoso, nós somos livres afinal."

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Entrevista com Roberto Shinyashiki - Revista Isto é


A revista ISTO É publicou esta entrevista de
Camilo Vannuchi. O entrevistado é Roberto
Shinyashiki, médico psiquiatra, com Pós-Graduação
em administração de empresas pela USP, consultor
organizacional e conferencista de renome nacional
e internacional.
'Cuidado com os burros motivados'

Em 'Heróis de Verdade', o escritor combate a
supervalorização das aparências, diz que falta ao
Brasil competência, e não auto-estima.

ISTO É - Quem são os heróis de verdade?

Roberto Shinyashiki -- Nossa sociedade ensina que,
para ser uma pessoa de sucesso, você precisa ser
diretor de uma multinacional, ter carro
importado, viajar de primeira classe.

O mundo define que poucas pessoas deram certo.

Isso é uma loucura. Para cada diretor de empresa,
há milhares de funcionários que não chegaram a ser
gerentes.

E essas pessoas são tratadas como uma multidão de
fracassados.

Quando olha para a própria vida, a maioria se
convence de que não valeu à pena, porque não
conseguiu ter o carro, nem a casa maravilhosa.

Para mim, é importante que o filho da moça que
trabalha na minha casa, possa se orgulhar da mãe.

O mundo precisa de pessoas mais simples e
transparentes.

Heróis de verdade são aqueles que trabalham para
realizar seus projetos de vida, e não para
impressionar os outros.

São pessoas que sabem pedir desculpas e admitiram
que erraram.

ISTO É -- O Sr. citaria exemplos?

Shinyashiki -- Quando eu nasci, minha mãe era
empregada doméstica e meu pai, órfão aos sete
anos, empregado em uma farmácia.

Morávamos em um bairro miserável em São Vicente
(SP) chamado Vila Margarida. Eles são meus heróis.

Conseguiram criar seus quatro filhos, que hoje
estão bem.

Acho lindo quando o Cafu põe uma camisa em que
está escrito '100% Jardim Irene'.

É pena que a maior parte das pessoas esconda suas
raízes.

O resultado é um mundo vítima da depressão, doença
que acomete hoje 10% da população americana.

Em países como o Japão, a Suécia e a Noruega, há
mais suicídio do que homicídio.

Por que tanta gente se mata?

Parte da culpa está na depressão das aparências,
que acomete a mulher, que embora não ame mais o
marido, mantém o casamento, ou o homem que passa
décadas em um emprego, que não o faz se sentir
realizado, mas o faz se sentir seguro.

ISTO É -- Qual o resultado disso?

Shinyashiki -- Paranóia e depressão cada vez mais
precoce.

O pai quer preparar o filho para o futuro e mete o
menino em aulas de inglês, informática e mandarim.
Aos nove ou dez anos a depressão aparece.

A única coisa que prepara uma criança para o
futuro, é ela poder ser criança.

Com a desculpa de prepará-los para o futuro, os
malucos dos pais estão roubando a infância dos
filhos. Essas crianças serão adultos inseguros e
terão discursos hipócritas.

Aliás, a hipocrisia já predomina no mundo
corporativo.

ISTO É - Por quê?

Shinyashiki -- O mundo corporativo virou um mundo
de faz-de-conta, a começar pelo processo de
recrutamento.

É contratado o sujeito com mais marketing pessoal.

As corporações valorizam mais a auto-estima do que
a competência.

Sou presidente da Editora Gente e entrevistei uma
moça que respondia todas as minhas perguntas com
uma ou duas palavras.

Disse que ela não parecia demonstrar interesse.

Ela me respondeu estar muito interessada, mas como
falava pouco, pediu que eu pesasse o desempenho
dela, e não a conversa. Até porque ela era
candidata a um emprego na contabilidade, e não
de relações públicas.

Contratei-a na hora.

Num processo clássico de seleção, ela não passaria
da primeira etapa.

ISTO É -- Há um script estabelecido?

Shinyashiki -- Sim. Quer ver uma pergunta
estúpida feita por um presidente de
multinacional no programa 'O Aprendiz'?

- Qual é seu defeito?

Todos respondem que o defeito é não pensar na vida
pessoal:

- Eu mergulho de cabeça na empresa. Preciso
aprender a relaxar.

É exatamente o que o Chefe quer escutar.

Por que você acha que nunca alguém respondeu ser
desorganizado ou esquecido?

É contratado quem é bom em conversar, em fingir.

Da mesma forma, na maioria das vezes, são
promovidos aqueles que fazem o jogo do poder.

O vice-presidente de uma as maiores empresas do
planeta me disse:

'Sabe, Roberto, ninguém chega à vice-presidência
sem mentir'.

Isso significa que quem fala a verdade não chega a
diretor!

ISTO É -- Temos um modelo de gestão que premia
pessoas mal preparadas?

Shinyashiki -- Ele cria pessoas arrogantes, que
não têm a humildade de se preparar, que não têm
capacidade de ler um livro até o fim e não se
preocupam com o conhecimento.

Muitas equipes precisam de motivação, mas o maior
problema no Brasil é competência.

Cuidado com os burros motivados.

Há muita gente motivada fazendo besteira.

Não adianta você assumir uma função, para a qual
não está preparado.

Fui cirurgião e me orgulho de nunca um paciente
ter morrido na minha mão.

Mas tenho a humildade de reconhecer que isso nunca
aconteceu graças a meus chefes, que foram sábios
em não me dar um caso, para o qual eu não estava
preparado.

Hoje, o garoto sai da faculdade achando que sabe
fazer uma neurocirurgia.

O Brasil se tornou incompetente e não acordou para
isso.



ISTO É -- Está sobrando auto-estima?

Shinyashiki -- Falta às pessoas a verdadeira
auto-estima.

Se eu preciso que os outros digam que sou o
melhor, minha auto-estima está baixa.

Antes, o ter conseguia substituir o ser.

O cara mal-educado dava uma gorjeta alta para
conquistar o respeito do garçom.

Hoje, como as pessoas não conseguem nem ser, nem
ter, o objetivo de vida se tornou parecer.

As pessoas parecem que sabem, parece que fazem,
parece que acreditam.

E poucos são humildes para confessar que não sabem.

Há muitas mulheres solitárias no Brasil, que
preferem dizer que é melhor assim.

Embora a auto-estima esteja baixa, fazem pose de
que está tudo bem.



ISTO É -- Por que nos deixamos levar por essa
necessidade de sermos perfeitos em tudo e de
valorizar a aparência?

Shinyashiki -- Isso vem do vazio que sentimos.

A gente continua valorizando os heróis.

Quem vai salvar o Brasil? O Lula.

Quem vai salvar o time? O técnico.

Quem vai salvar meu casamento? O terapeuta.

O problema é que eles não vão salvar nada!

Tive um professor de filosofia que dizia:

'Quando você quiser entender a essência do ser

humano, imagine a rainha Elizabeth com uma crise
de diarréia durante um jantar no Palácio de
Buckingham'. Pode parecer incrível, mas a rainha
Elizabeth também tem diarréia.

Ela certamente já teve dor de dente, já chorou de
tristeza, já fez coisas que não deram certo.

A gente tem de parar de procurar super-heróis,
porque se o super-herói não segura a onda, todo
mundo o considera um fracassado.



ISTO É -- O conceito muda quando a expectativa não
se comprova?

Shinyashiki -- Exatamente.. A gente não é
super-herói nem superfracassado.

A gente acerta, erra, tem dias de alegria e dias
de tristeza.

Não há nada de errado nisso.

Hoje, as pessoas estão questionando o Lula, em
parte porque acreditavam que ele fosse mudar suas
vidas e se decepcionaram.

A crise será positiva se elas entenderem que a
responsabilidade pela própria vida é delas.



ISTO É -- Muitas pessoas acham que é fácil para o
Roberto Shinyashiki dizer essas coisas, já que ele
é bem-sucedido. O senhor tem defeitos?

Shinyashiki -- Tenho minhas angústias e
inseguranças. Mas aceitá-las faz minha vida fluir
facilmente.

Há várias coisas que eu queria e não consegui.

Jogar na Seleção Brasileira, tocar nos Beatles
(risos). Meu filho mais velho nasceu com uma
doença cerebral e hoje tem 25 anos.

Com uma criança especial, eu aprendi que, ou eu a
amo do jeito que ela é, ou vou massacrá-la o resto
da vida para ser o filho que eu gostaria que
fosse.

Quando olho para trás, vejo que 60% das coisas que
fiz deram certo.

O resto foram apostas e erros.

Dia desses apostei na edição de um livro, que não
deu certo.

Um amigão me perguntou:

'Quem decidiu publicar esse livro?'

Eu respondi que tinha sido eu. O erro foi meu. Não
preciso mentir.



ISTO É - Como as pessoas podem se livrar dessa
tirania da aparência?

Shinyashiki -- O primeiro passo é pensar nas
coisas que fazem as pessoas cederem a essa
tirania e tentar evitá-las.

São três fraquezas:

A primeira é precisar de aplauso, a segunda é
precisar se sentir amada e a terceira é buscar
segurança.

Os Beatles foram recusados por gravadoras e nem
por isso desistiram.

Hoje, o erro das escolas de música é definir o
estilo do aluno.

Elas ensinam a tocar como o Steve Vai, o B. B.
King ou o Keith Richards.

Os MBAs têm o mesmo problema: ensinam os alunos a
serem covers do Bill Gates.

O que as escolas deveriam fazer é ajudar o aluno a
desenvolver suas próprias potencialidades.



ISTO É -- Muitas pessoas têm buscado sonhos que
não são seus?

Shinyashiki -- A sociedade quer definir o que é
certo. São quatro loucuras da sociedade..

A primeira é instituir que todos têm de ter
sucesso, como se eles não tivessem significados
individuais.

A segunda loucura é:

Você tem de estar feliz todos os dias.

A terceira é:

Você tem que comprar tudo o que puder. O resultado
é esse consumismo absurdo.

Por fim, a quarta loucura:

Você tem de fazer as coisas do jeito certo.

Jeito certo não existe.

Não há um caminho único para se fazer as coisas.

As metas são interessantes para o sucesso, mas não
para a felicidade.

Felicidade não é uma meta, mas um estado de
espírito.

Tem gente que diz que não será feliz, enquanto não
casar, enquanto outros se dizem infelizes
justamente por causa do casamento.

Você pode ser feliz tomando sorvete, ficando em
casa com a família ou com amigos verdadeiros,
levando os filhos para brincar ou indo à praia ou
ao cinema..

Quando era recém-formado em São Paulo, trabalhei
em um hospital de pacientes terminais.

Todos os dias morriam nove ou dez pacientes.

Eu sempre procurei conversar com eles na hora da
morte.

A maior parte pega o médico pela camisa e diz:

'Doutor, não me deixe morrer. Eu me sacrifiquei à
vida inteira, agora eu quero aproveitá-la e ser
feliz'.

Eu sentia uma dor enorme por não poder fazer nada.
Ali eu aprendi que a felicidade é feita de coisas
pequenas.

Ninguém na hora da morte diz se arrepender por não
ter aplicado o dinheiro em imóveis ou ações, mas
sim de ter esperado muito tempo ou perdido várias
oportunidades para aproveitar a vida.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Dois dias depois!


Neste último final de semana aprendemos muitas coisas, Deus falou claramente ao nosso coração sobre como podemos viver uma vida onde Deus, verdadeiramente, está no controle.

Aprendemos que a fé se manifesta quando colocamos algo nas mãos do Senhor e descansamos. E, você diz assim: "pastor mas em algumas situações fica difícil descansar, aquilo não sai da cabeça". Bem, é verdade, mas quando dizemos descanso aqui, falamos não apenas de um sentimento, mas de uma decisão. Você, que acredita em Deus, precisa tomar a decisão de descansar no Senhor e crer que Ele fará maravilhas em sua vida. No salmo 37.4,5 e 7a, a Palavra do Senhor nos diz: "AGRADA-TE do Senhor, e Ele satisfará os desejos do seu coração. ENTREGA o teu caminho ao Senhor, CONFIA nEle, e o mais Ele fará. DESCANSA no Senhor e espera nEle..."

Lembro porém, que descansar não é cruzar os braços, ficar olhando para o céu esperando as dádivas, descansar é fazer o possível, sabendo que o impossível Ele vai realizar. A bênção de Deus é sempre sobre os que lutam, batalham, estudam, perseveram e não se entregam diante dos obstáculos. Se alguém acha que tem sido abençoado sem nada precisar fazer, sem trabalhar para Deus, sem ser fiel ao Senhor, sem buscar uma vida de santidade e a busca por novas pessoas aos pés de Jesus, CUIDADO, pode ser que não seja Deus que esteja lhe fazendo estes agrados. O Diabo tentou seduzir Jesus também, oferecendo um monte de coisas, em troca daquilo que Jesus deveria fazer. Uma vida de prosperidade material, emocional e física, nem sempre é bênção divina.

Por isso, agrade a Deus com a sua confiança, confie que Deus tem o melhor pra sua vida, entregue-se a Ele, descansando nas suas promessas, mas fazendo a sua parte, sempre com excelência. E, se puder, em vez de uma milha, andando sempre duas.

Deus tem muito pra fazer na sua vida e Ele vai fazer!

Uma boa continuidade de semana pra você.

Pastor Mauricio Baniski



No controle da vida!



"Mas agora, assim diz o Senhor que te criou... que te formou... não temas porque eu te remi, chamei-te pelo teu nome, tu és meu." Isaias 43.1

É bom acordar e saber que Deus está cuidando de tudo. Ele está no controle da vida, no controle de tudo. Sei que não preciso andar ansioso, preocupado, angustiado ou desanimado diante dos grandes desafios à frente, porque Deus está cuidando de tudo pra mim. Ele vai abrir uma porta, estender as mãos para me socorrer, me cobrir com suas asas e me sustentar.

Hoje, quando li este texto bíblico pela manhã, meu coração se encheu de paz. Lembrei que sou um projeto eterno de Deus, sou um filho planejado, percebi que fui formado por Ele e, isso me incentivou a buscar arrancar as deformação que o mundo produziu em mim e deixar que a forma de Deus me molde novamente (a forma de de Deus é Jesus Cristo, Ele é o padrão de um filho que gera prazer no coração do Pai, é o nosso projeto maior). O Senhor me disse: "não temas", não tenha medo porque eu te libertei da escravidão, te tirei do império das trevas e te transportei para o reino de luz, te chamo pelo teu nome. Deus é um Deus pessoal, amigo, fiel e amor e isso me dá segurança de que o melhor irá acontecer em minha vida, pois, sou do Senhor, pertenço ao único e eterno Deus e através de seu amor é que sou tratado.

Creia e espere, glorifique e veja Deus movendo seus e terra em seu favor. Transformando sua casa e sua vida. Fazendo o milagre que você tem buscado.

Uma boa continuidade de semana pra você

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Este é o dia!


"Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele." Salmo 118.24

Cada dia é um presente de Deus. Acordar é ter diante de si uma nova etapa, uma nova oportunidade, um novo tempo. E acredite, cada novo tempo é uma dádiva divina. Portanto, levante-se, arrume-se e perfume-se, comprometa-se com os teus sonhos, acredite nos teus talentos, corra atrás da sua capacitação, faça tudo com excelência, acredite que vai chegar ao topo, dê mais um passo, é assim que se chega. Que ao terminar este dia eu te encontre num lugar mais perto da realização dos teus sonhos.

Só não esqueça de ser gentil, de amar as pessoas, de gestos de carinhos e respeito. Mostre que ama a vida e respeita o fato de Deus ter lhe dado mais um oportunidade de mostrar ao mundo que você pertence a Ele. Nunca esqueça que, no caminho o mais importante são as pessoas, sem elas qualquer coisa carece de sentido.

Uma boa continuidade de semana pra você.

Um bom acampamento a todos os que tem o privilégio de participar.

Deus abençoe a sua vida

Pastor Mauricio Baniski

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A Pureza da Vida


“Todas as coisas são puras para os puros” Tito 1.15

Ser cristão, viver a fé, experimentar uma vida nova, conhecer e obedecer a Palavra de Deus, caminhar para a santidade e a pureza é deixar a malícia, voltar à inocência e viver de uma maneira que contribua para tornar o mundo mais belo, puro e divino. Ser cristão não é apontar, acusar, ver malicia em tudo, se esconder do próximo evitando o abraço amigo, o carinho de irmão, as palavras de amor, afeto e paz. É possível viver com intensidade o amor cristão, sem conceitos e preconceitos, sem malicia ou qualquer tipo de maldade.

Fico triste em ver que muitas vezes as religiões que criamos tem como base o que NÃO se pode fazer, o que não se pode dizer, o que não se deve pensar, o que não se deve ser e, se esquece, do que devemos fazer, dizer, pensar e ser. Por isso, a Bíblia é tão categórica quanto a atitude de acusação, chama de Satanás, acusador de irmãos, aqueles que usam da sua religiosidade e malicia reprimida para difamar, corromper, condenar e destruir o seu próximo. Jesus foi muito duro com os religiosos de seu tempo, dizia que a maldade maior não estava nas pessoas e sim nos olhos deles. Não conseguimos ver pureza em nada se a nossa alma não é pura.

Sou a favor de que procuremos viver uma vida de santidade, que quando virmos algum de nossos irmãos em situação de perigo pelo pecado, nos aproximemos dele e tentemos ajudá-lo a sair daquela situação, por causa do amor e com muito amor. Acredito que devemos buscar a santificação diária. Mas creio que isso acontece naturalmente à medida que nos aproximamos da luz (Jesus), quanto mais próximos da luz, há menos treva (pecado) em nossa vida. Isso significa que em vez de ficar apontando a ausência de luz, devo brilhar com a luz de Cristo e as trevas se dissiparão.

O evangelho cristão é o evangelho do SIM, a cruz de Cristo é o grande sim da misericórdia e da graça divina em favor da criação. É o evangelho da alegria, da luz, do amor, da paz, do perdão, da restauração, do recomeço, da vida nova a cada dia. Se eu e você formos o que devemos ser, ou seja, a luz do mundo, não precisaremos ficar apontando o erro do nosso próximo porque o nosso testemunho de vida será um instrumento de iluminação e conversão àquele que estiver ao nosso lado.

Que Deus torne puro os nossos olhos e coração.

Boa continuidade de semana para você.

Pastor Mauricio Baniski

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Persevero III



Luz Suficiente!

As vezes toda a luz que tenho ilumina apenas o lugar onde estou, ou só um passo à frente. Deus me dá apenas a luz que preciso, no momento em que preciso.

Nesses momentos eu caminho pela fé, incapaz de enxergar o futuro e sem compreender totalmente o passado.

Deus me deu a luz que eu preciso, e por isso sei que devo rejeitar o medo e a duvida que ameaçam me tragar.

Tenho de escolher estar contente onde estou, permitindo que Ele me leve para onde preciso ir.

Caminho adiante, dando um passo de cada vez, confiando totalmente que a luz que Deus derrama sobre o meu caminho é tudo o que eu preciso.

(Stormie Omartian)

Boa continuidade de semana para você

Pastor Mauricio Baniski

A cruz do calvário!


"... o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos" Isaias 53.6; "Cristo nos resgatou da maldição fazendo-se Ele próprio maldição em nosso lugar" Gálatas 3.13; Quando Jesus percebeu que havia completado a pena pelo nosso pecado na cruz do calvário, gritou: "Está consumado" João 19:30. O autor de Hebreus nos mostra que não há mais nada a ser feito, uma vez que a obra da cruz foi completa: "... Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecera segunda vez, sem pecado, aos que aguardam a salvação" Hb 9.25-28.

A cruz do calvário nos torna justos diante de Deus: "Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo." Rom. 5.1

A cruz do calvário nos declara perdoados: "E é assim que Davi declara ser bem aventurado o homem a quem Deus atribui justiça, independente de obras: Bem aventurado aquele cujas iniquidades é perdoada, e cujos pecados são cobertos; bem aventurado o homem a quem o Senhor jamais imputará pecado." Rom. 4.6-8

A cruz do calvário nos faz filhos de Deus: "Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, afim de que recebêssemos adoção de filhos. E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai! De sorte que já não és mais escravo, poém filho, e, sendo filho, também herdeiro por Deus." Gl 4.4-7

A cruz nos torna santos diante de Deus: "Tais fostes alguns de vós, mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus." I Co 6.11

Uma boa continuidade de semana pra você.

Pastor Mauricio Baniski

terça-feira, 10 de novembro de 2009

4 dias


"Ó Senhor dos Exércitos, feliz o homem que em ti confia" Salmo 84.12. É muito bom saber que Deus está no controle de todas as coisas, saber que Ele está cuidando da nossa vida em todo o tempo, que Ele é o nosso sol e escudo, a nossa fortaleza.

Em novembro, estaremos experimentando a maneira que Deus trata conosco quando o medo, o desespero e a derrota bate a nossa porta.

É muito importante vir a Igreja, ouvir a Palavra de Deus, praticar essa Palavra e multiplicá-la compartilhando com outros.

Convide e traga seus amigos à Igreja neste mês de novembro.

Estamos a 4 dias do Acampamento. Até amanhã você pode fazer a sua inscrição. Vai ser tremendo!

Uma boa continuidade de semana pra você.

Pastor Mauricio Baniski

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

5 dias

video
Estamos a 5 dias do nosso Acampamento mas ainda há tempo para você fazer a sua inscrição e, também, incentivar sua familia e amigos a fazê-la. Vai ser muito importante a sua presença conosco. Serão 3 dias de muita unção e poder de Deus sobre a nossa vida.

Venha estar com a gente. dias 13 a 15 de novembro. Um tempo de cura e ministração do Espírito Santo. Venha derramar-se diante do Senhor.

As ministrações serão realizadas pelos irmãos: Miss. Isaias Sessenda e Paty e os Bonecos. Venha em nosso culto na próxima quarta-feira, ou procure o Presb. Nei ou a Marinalva e inscreva-se.

Chegou a hora. O impossível Ele pode realizar. E, Ele fará em tua vida(Isaias 43.13).

Boa continuidade de Semana a todos nós.

Pastor Mauricio Baniski

sábado, 7 de novembro de 2009

Faça perguntas a si mesmo!


Se tua vida não está sendo o que você sonhou o que você precisa para começar a fazer uma mudança real nos teus rumos? É ruim quando o desânimo, a desesperança, a descrença batem à nossa porta e nos lançam ao chão. Mas precisamos reagir e a força que remove todas as coisas ruins da nossa existência precisam sair de dentro de nós mesmos. Sempre ficamos esperando uma ajuda externa, do além, dos outros, para questões que nós mesmos precisamos enfrentar.

A vitória está, antes de qualquer coisa, dentro de você e é como um imã que atraí e é atraído por atitudes reais de mudança em nossa maneira de ser, pensar e agir. A primeira pergunta que devemos fazer, quando nos deparamos com o vislumbre dos lugares aonde desejamos chegar é: "quais as mudanças que precisam acontecer em minha vida para que eu atinja os alvos que propus para a minha vida?

Seja a pessoa mais interessada em fazer você feliz. Faça perguntas importantes a si mesmo, não tema as resposta e obedeça as necessidades de mudança.

Um abraço e boa continuidade de semana pra você

Pastor Mauricio Baniski

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O Compromisso de Deus


No Salmo 91, a Palavra de Deus revela o compromisso do Altíssimo com todos aqueles que fazem do Senhor o seu lugar, o seu escudo, a sua muralha. Com todo aquele que, mesmo sendo infiel em alguns momentos da sua caminhada, submete-se aos cuidados do Senhor e luta e se empenha por aperfeiçoar o seu conhecimento e viver uma vida centrada nos designos divinos. “Ele é o meu Deus, o meu refugio e a minha fortaleza” essas revelações confirmam que o Senhor é presente, é atuante, é pessoal (Fil. 4.19). Se você crê e busca servi-lo pode dizer: “Tu és o meu Deus”.

Dizer que o Senhor é o teu Deus, além de uma declaração pessoal, revela o teu serviço, a tua sujeição, o lugar da tua obediência. Deus é aquele a quem você serve, obedece e adora. Dizer: “Tu és o meu Deus” é agir e declarar como Jesus diante das propostas do inimigo em Mateus 4.4; 7; 10: “... não só de pão viverá o homem mais de toda a Palavra que procede da boca de Deus.”; “... Não tentarás o Senhor teu Deus.”; “... ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto”.

Dizer que o Senhor é o teu refúgio é confiar Ele é um lugar seguro, um lugar de descanso, um lugar aonde você pode se esconder, aonde você pode se reciclar, aonde você pode ser você mesmo. Ao contrário do que muitas vezes acontece, onde as pessoas criam um personagem de espiritualidade nos cultos e nas religiões e se transformam nestes lugares de ritos religiosos, fazer de Deus o teu refúgio é ser você mesmo, é se apresentar verdadeiramente, diante dEle como você é, sem máscaras, sem vestimentas de “espiritualidade”, sabendo que ali serás recebido e envolvido no eterno amor, misericórdia, compaixão e graça que Ele derrama sobre todos aqueles que o recebem (Mateus 6.5-8). É maravilhoso pensar que Deus é o teu refugio. Isso trás segurança e paz. Em Lucas 15, na história do filho pródigo Jesus revela esse refúgio no Pai, quando todas portas se fecham e o abismo vai nos engolindo, Deus é aquele que ama, acolhe, restaura, restitui, perdoa e dá uma nova vida aos seus filhos.

Dizer que o Senhor é a tua fortaleza, significa proteção, segurança e paz. A certeza de que não precisa temer os grandes desafios e inimigos que surgem na caminhada, estamos protegidos. É saber que há Alguém sempre maior do nosso lado. Gosto daquele pensamento que diz que “se você está com Deus, não importa a quantidade do exército inimigo, você é sempre maioria”. Essa é uma realidade revelada pelo Filho de Deus, Jesus Cristo, quando estava no Getsemani, prestes a ser sacrificado em favor dos pecados da humanidade, Jesus revela ali a confiança na proteção divina: “faça-se a tua vontade” Mateus 26.42. Servir a Deus e tê-lo como fortaleza, não é ausência de adversidade, mas proteção e sobrevivência mesmo em situações adversas que estão no caminho que temos de passar. Por isso, em outro texto bíblico o servo de Deus revelou: “O Senhor é meu pastor, nada me faltará... Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque Tu estas comigo” salmo 23.

Deus abençoe e boa continuidade de semana.

Pastor Mauricio Baniski (Paulo, Deus te abençoe neste salmo 91 que chamou sua atenção)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

A bênção que o mundo precisa!


“Lembra-te de mim, ó meu Deus, e de tudo quanto fiz a este povo.” Neemias 5.19

Neemias é um dos maiores exemplos bíblicos de uma vida que realmente valeu a pena. Sua história foi marcada pela contribuição que deu ao seu povo, trazendo esperança e encorajamento à sua gente. Sua posição de conforto e tranqüilidade não o impediu de submeter-se à dura decisão de voltar para a sua terra e dispor-se ao trabalho de reconstrução da cidade de Jerusalém e a restauração do seu povo. Para alcançar êxito, além de vencer a si mesmo saindo da sua zona de conforto e se dispondo ao trabalho pesado, Neemias teve também de vencer as dificuldades do caminho em voltar à sua terra, teve de “colocar a mão na massa” incentivando o povo de Deus a recomeçar a construção dos muros, teve de vencer aqueles que não quiseram ajudar e ainda por cima tentavam desanimar o povo e teve que vencer os muitos inimigos que não queriam que a vida daquela gente tivesse um recomeço.

Neemias foi um exemplo a todos nós de como podemos viver uma vida que realmente vale a pena. Atitudes como compaixão, oração, disposição, coragem, continuidade, ânimo e fé marcaram não apenas a sua vida, mas foram encarnadas na vida de todos os que tiveram o privilégio de ver a sua maneira de viver.

Hoje, a muitas pessoas, muitas famílias, muitas igrejas que precisam de escolhidos de Deus que tenham estas mesmas qualidades e ajudem a reconstruí-las. Seja você a bênção que o mundo precisa.

Uma boa continuidade de semana

Pastor Mauricio Baniski

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

marinalva


Refugia-te no teu sonho
No encantado lugar onde tua alma te levar
Onde correr e se esconder é apenas uma maneira doce de brincar
Onde brindam a alegria e a paz no aconchego do teu ser
E a felicidade é o lar que escolhestes habitar

Se Deus é o teu dono
O dono do teu coração
Teu refúgio é o lugar
Onde não apenas vais sonhar
Mas para onde se faz o teu caminhar
O teu lugar para chegar

Nunca pare por uma pedra
Um obstáculo ou tropeçar
Não encurte o caminho
O tempo certo vai chegar
Onde o sonho é mais real
Que a vontade de alcançar

Pastor Mauricio Baniski (atendendo ao seu pedido)

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Uma reflexão


Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e raramente estamos com Deus.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente.

Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.

Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos cada vez menos.

Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.

Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados.

Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas 'mágicas'.

Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.
Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.

Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão aqui para sempre.

Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer.

Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua companheira(o) e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, se ame... se ame muito.

Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro.

Por isso, valorize sua família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre.