sexta-feira, 31 de julho de 2009

Deus cuida de mim


Este é o tempo de aprender mais de Deus. Em agosto, convido você para desfrutar de noites de glória. Deus esta presente, é o nosso Emanuel, Ele mudará toda nossa sorte, nos fará crescer e experimentar o melhor desta terra.

"Eu preciso aprender um pouco aqui

Eu preciso aprender um pouco ali

Eu preciso aprender mais de Deus
Porque ele é quem cuida de mim.
Se uma porta se fecha aqui

Outras portas se abrem ali
Eu preciso aprender mais de Deus
Porque ele é quem cuida de mim
Deus cuida de mim.

Deus cuida de mim na sombra das suas asas
Deus cuida de mim, eu amo a sua casa
E não ando sozinho não estou sozinho,
Pois sei: Deus cuida de mim.
Deus cuida de mim na sombra das
suas asas
Deus cuida de mim, eu amo a sua casa
E não ando sozinho não estou sozinho,
Pois sei: Deus cuida de mim.
Se na vida não tem direção É preciso tomar decisão
Eu sei que existe alguém que me ama
Ele quer me dar a mão.

Se uma porta se fecha aqui

Outras portas se abrem ali
Eu preciso aprender mais de Deus

Porque ele é quem cuida de mim
Deus cuida de mim."

Letra e Música: Kleber Lucas

A arte de se relacionar bem! III PARTE


Quais são os ingredientes necessários para que tenhamos a capacidade de manter relacionamentos sadios, seguros, plenos e centrados em Cristo?

Interessado em que tivéssemos uma boa construção social, em que desenvolvêssemos relacionamentos sólidos e duradouros, Deus criou a família. É na família que toda pessoa nasce, ou deveria nascer, é no convívio social do lar que nos deparamos com o primeiro núcleo de relacionamentos que marcarão toda a nossa existência. Como na família, na vida sempre teremos leis para respeitar, pessoas em posição de comando e responsabilidade que teremos que obedecer. Teremos que aprender a dividir deveres e privilégios, dividir sonhos, perdas e frustrações, experimentar a cada dia o desenvolvimento espiritual, emocional, físico e social de todos e nos adaptarmos a cada etapa alcançada. Teremos que aprender a conviver com o diferente e procurar a minha maneira de crescer sem diminuir o próximo, crescer junto, permitir e ajudar o crescimento do próximo.

A família é a preparação para a vida dentro da própria vida. Isto porque ela sempre existirá, dando forma não apenas aos da sua casa, mas a sociedade como um todo, todo o tempo. Com isto concluímos que o resultado catastrófico em muitas das esferas sociais, em todo o mundo, se deve, em muito, a maneira que a família está constituída. Tem haver com os tipos de valores, falta de limites, ausências de princípios, deformações como materialismo, egoísmo, secularismo, consumismo e outros “ismos”, irresponsabilidades e outras anomalias que, de maneira geral, estão muito presentes na “célula mater” da sociedade pós-moderna.

Não há como desenvolver a arte de se relacionar bem sem voltar-se para o núcleo social mais importante da nossa vida que é a nossa família. Não há como construir uma sociedade melhor sem que tenhamos famílias melhores. Às vezes, queremos ganhar o mundo, mas a nossa família esta perdida. Queremos ter relacionamentos sadios, plenos, seguros e até centrados em Cristo, mas queremos construir isto fora da família. Para uma transformação na arte de se relacionar bem, para que você se torne excelente em sua vida social, volte-se para o que é mais importante. E, o mais importante é a sua família. Quando aprendemos a nos relacionar bem com os de casa, desfrutamos de uma revolução nos relacionamentos de maneira geral.

Talvez, eu e você, não tivemos o privilégio de nascer e crescer num lar saudável. Isto não é o fim. É possível transformá-lo ainda hoje, é possível reconstruir nossa família. Pode ser demorado e árduo, mas é um trabalho que vale a pena. Há situações que não tem como voltar, pessoas que perdemos ao longo do caminho, escolhas e atitudes impensadas que feriram e magoaram, separações que acabaram sendo a saída mais sensata naquele momento, enfim... Mas, diante de tudo isto, podemos cuidar do que ainda temos, podemos ter respeito e desenvolver relacionamentos extraordinários baseados, principalmente, no caráter de Deus, que está sendo construído em nosso relacionamento com Ele.

Quer adquirir a arte de relacionar-se bem? Quer que seus filhos e esposa(o) sejam pessoas bem sucedidas nesta arte? Volte-se para o seu lar: ame, mude, transforme, invista tempo, invente, doe-se, ouça, ouça de novo e fale, abra seu coração...

Obs.: Corremos muito atrás de coisas para dar “o melhor” para a nossa família, o melhor para a sua família sempre foi, é e, sempre será, VOCÊ!

Um bom restante de dia pra você!

Pastor Mauricio Baniski

quinta-feira, 30 de julho de 2009

A arte de se relacionar bem! II PARTE


Quais são os ingredientes necessários para que tenhamos a capacidade de manter relacionamentos sadios, seguros, plenos e centrados em Cristo?

Uma vez que temos buscado a vida de Deus em nossa vida, que reconciliamos com Ele e passamos a buscar uma vida de comunhão através da oração, da leitura e da prática da Palavra de Deus, podemos agora ir um pouco mais adiante em nossa busca de relacionamentos sadios, seguros, plenos e centrados em Cristo. Por isso, convido você a olhar para Jesus e a maneira que Ele se relacionava com as pessoas.

A base do relacionamento de Jesus era sempre o amor. A partir do amor tudo era construído ou reconstruído. Jesus era um homem de Comunhão com Deus, estava sempre em oração, sempre vigilante de seu relacionamento com o Eterno, mas também era alguém preocupado em relacionar-se com as pessoas. Jesus não era centrado em si mesmo e nos seus interesses, sabia que todo relacionamento sadio se concretiza no ganha-ganha, ou seja, ninguém usa ninguém apenas como degrau para se alcançar o desejado. Todo relacionamento deve ser ganho para todas as partes.

Nem eu, nem você, queremos descobrir depois de um tempo que apenas fomos usados em um relacionamento. Por isso, nunca use ninguém. Ninguém tem o direito de ver a outra pessoa apenas como um passo para se chegar a um objetivo. Todas as pessoas foram criadas por Deus e merecem respeito. Assim como você não deseja que os outros te usem, nunca use as outras pessoas. Jesus precisava dos discípulos, contava com eles, os chamou, os instruiu, os preparou, os honrou, os perdoou, teve paciência. Jesus tinha um projeto de vida e os incluiu, mas o projeto de vida de Jesus era morrer por Eles, para que eles fossem salvos. Com o relacionamento entre Jesus e seus discípulos, não apenas Jesus e eles ganharam, mas os benefícios também nos alcançaram e hoje somos frutos também, daquele relacionamento.

Concluo incentivando você a, neste dia, promover e cultivar relacionamentos sadios onde não apenas você ou o teu próximo, mas todos os envolvidos ganhem. Isso é ser sábio. Busque restaurar todo e qualquer relacionamento em que só uma parte esta sendo beneficiada. Não se permita usar a outra pessoa apenas para o seu bel prazer, nem ser apenas usado(a) como trampolim para realização dos anseios alheio. Tome a decisão de viver relacionamentos sadios.

Bom restante de dia pra você

Pastor Mauricio Baniski

quarta-feira, 29 de julho de 2009

A arte de se relacionar bem! I PARTE


Quais são os ingredientes necessários para que tenhamos a capacidade de manter relacionamentos sadios, seguros, plenos e centrados em Cristo?

Toda nossa vida começa e termina diante de Deus, resta a cada um de nós no tempo em que nos achamos adultos, capazes de fazer escolhas e seguir por elas, não desligar nossa existência deste principio fundamental. Deus é a fonte inesgotável de toda a vida, de toda saúde, de toda segurança, de toda plenitude. Jesus, quando conversava com seus discípulos, evangelho de João 15, compara esse relacionamento a uma videira. Neste capítulo Jesus explica que Ele é a base e nós os seus ramos. Não há vida nos ramos longe da árvore. Longe ele não é alimentado, não é sustentado, não tem segurança, não é pleno, não frutifica. Simplesmente seca e morre. E, é assim que estamos todas as vezes que nos encontramos distantes da fonte de vida.

O primeiro segredo para relacionar-se bem com os outros é um concerto no seu relacionamento com Deus. Quando não estamos ligados à fonte, principio básico da vida, dificilmente conseguimos relacionamentos plenos ao nosso redor. Não digo aqui que, você precisa da religião “A” ou “B”, até porque estas também, quando não se está ligado ao Criador se torna apenas um meio de pessoas se imporem e tirarem vantagens do próximo. Falo da necessidade de um relacionamento com Deus, em Cristo, por meio do Espírito Santo. Falo de uma vida que se empenha e habitua a uma atitude diária de oração, reflexão e pratica da Palavra de Deus.

Se você deseja relacionamentos sadios com as pessoas a quem ama (com esposo(a), com seus filhos(as), irmãos (ãs), com toda a sua família, com sua comunidade, com sua Igreja, em seu local de trabalho ou estudo, no mundo aonde você tem o privilégio de estar, comece pelo começo. Comece com Deus. Ele é a fonte de tudo o que é bom: “Pois tudo o que Deus criou é bom...” II Tim. 4.4.

Concerte hoje mesmo seu relacionamento com Deus. Ele esta a tua espera, de braços abertos (lembra do Pai do filho pródigo? Ele te espera assim. Louco de amor por você). A maneira mais inteligente de viver é se achegando ao autor da vida e descobrindo nEle quem de fato somos e qual é a missão da nossa vida. Vem para a vida!

Um bom restante de dia

Até amanhã

Pastor Mauricio Baniski

terça-feira, 28 de julho de 2009

Hoje, é mais um dia para amar...


Se o dia inteiro essa chuva insistir em cair;
E os seus pingos baterem em minha janela;
Vou dobrar os meus joelhos e Te agradecer;
Hoje, é mais um dia para amar...

Se eu ver as pessoas indo e vindo;
Andando rápido pra não se molhar;
Vou torcer pra que cheguem rápido ao seu destino;
Hoje, é mais um dia para amar...

Se esconderam meu guarda-chuva e eu também tiver que ir;
Com coragem vou sair e bem rápido caminhar, correr;
Desviando dos pingos que puder evitar;
Hoje, é mais um dia para amar...

A chuva é como alguns momentos da nossa vida;
Forte ou fraca, rápida ou demorada, parece que atrapalha o caminhar;
Mas é sempre necessária para nos mostrar, que...
Hoje, é mais um dia para amar...

Vou aproveitar e não mais reclamar da chuva que Deus mandar;
Vou regar as sementes na terra e ver a vida brotar;
Fortalecer meus sonhos, vêlos crescer e frutificar, pois...
Hoje, é mais um dia para amar...

Mauricio Baniski

Discuso de posse do Obama - Tradução


"Meus concidadãos: estou aqui na frente de vocês me sentindo humilde pela tarefa que está diante de nós, grato pela confiança que depositaram em mim e ciente dos sacrifícios suportados por nossos ancestrais. Agradeço ao presidente Bush por seu serviço à nação, assim como também pela generosidade e cooperação que ele demonstrou durante esta transição. Quarenta e quatro americanos já fizeram o juramento presidencial. As palavras já foram pronunciadas durante marés crescentes de prosperidade e nas águas tranqüilas da paz. Ainda assim, com muita freqüência o juramento é pronunciado em meio a nuvens que se aproximam e tempestades ferozes. Nesses momentos, a América seguiu em frente não apenas devido à habilidade e visão daqueles em posição de poder, mas porque Nós, o Povo, continuamos fiéis aos ideais de nossos fundadores e aos documentos de nossa fundação. Tem sido assim. E assim deve ser com esta geração de americanos. Que estamos no meio de uma crise agora já se sabe muito bem. Nossa nação está em guerra contra uma extensa rede de ódio e violência. Nossa economia está muito enfraquecida, uma conseqüência da ganância e irresponsabilidade por parte de alguns, mas também de nossa falha coletiva em fazer escolhas difíceis e em preparar a nação para uma nova era. Lares foram perdidos; empregos cortados; empresas fechadas. Nosso sistema de saúde é caro demais; nossas escolas falham demais; e cada dia traz mais provas de que a maneira como utilizamos energia fortalece nossos adversários e ameaça nosso planeta. Esses são os indicadores da crise, sujeitos a dados e estatísticas. Menos mensurável, mas não menos profunda é a erosão da confiança em todo nosso país – um medo persistente de que o declínio da América seja inevitável e de que a próxima geração tenha que baixar suas expectativas. Hoje, eu digo a você que os desafios que enfrentamos são reais. Eles são sérios e são muitos. Eles não serão encarados com facilidade ou num curto período de tempo. Mas saiba disso, América – eles serão encarados. Neste dia, nos reunimos porque escolhemos a esperança no lugar do medo, a unidade de propósito em vez do conflito e da discórdia.Neste dia, nós viemos proclamar um fim aos conflitos mesquinhos e falsas promessas, às recriminações e dogmas desgastados que por muito tempo estrangularam nossa política. Ainda somos uma nação jovem, mas, nas palavras da Escritura, chegou a época de deixar de lado essas coisas infantis. Chegou a hora de reafirmar nosso espírito de resistência para escolher nossa melhor história; para levar adiante o dom preciso, a nobre idéia passada de geração em geração: a promessa divina de que todos são iguais, todos livres e todos merecem buscar o máximo de felicidade.Ao reafirmar a grandeza de nossa nação, compreendemos que a grandeza nunca é dada. Ela deve ser conquistada. Nossa jornada nunca foi feita por meio de atalhos ou nos contentando com menos. Não foi um caminho para os de coração fraco – para aqueles que preferem o lazer ao trabalho, ou que buscam apenas os prazeres da riqueza e da fama. Em vez disso, foram aqueles que se arriscam, que fazem, que criam coisas – alguns celebrados mas com muito mais freqüência homens e mulheres obscuros em seu trabalho, que nos levaram ao longo do tortuoso caminho em direção à prosperidade e à liberdade.Foi por nós que eles empacotaram suas poucas posses materiais e viajaram pelos oceanos em busca de uma nova vida. Foi por nós que eles trabalharam nas fábricas precárias e colonizaram o Oeste; suportaram chicotadas e araram terra dura. Foi por nós que eles lutaram e morreram em lugares como Concord e Gettysburg; Normandia e Khe Sahn. Muitas e muitas vezes esses homens e mulheres se esforçaram e se sacrificaram e trabalharam até que suas mãos ficassem arrebentadas para que nós pudéssemos viver uma vida melhor. Eles viram a América como sendo algo maior do que a soma de nossas ambições individuais; maior do que todas as diferenças de nascimento ou riqueza ou facção.Esta é uma jornada que continuamos hoje. Nós ainda somos a mais próspera e poderosa nação da Terra. Nossos trabalhadores não são menos produtivos do que quando esta crise começou. Nossas mentes não são menos inventivas, nossos produtos e serviços não são menos necessários do que eram na semana passada ou no mês passado ou no ano passado. Nossa capacidade permanece inalterada. Mas nossa época de proteger patentes, de proteger interesses limitados e de adiar decisões desagradáveis – essa época com certeza já passou. A partir de hoje, temos de nos levantar, sacudir a poeira e começar de novo o trabalho para refazer a América.Porque, em todo lugar que olhamos, há trabalho a ser feito. O estado da economia pede ação ousada e rápida, e nós iremos agir – não apenas para criar novos empregos, mas para estabelecer uma nova fundação para o crescimento. Iremos construir as estradas e as pontes, as linhas elétricas e digitais que alimentam nosso comércio e nos unem. Iremos restaurar a ciência a seu lugar de direito e utilizaremos as maravilhas tecnológicas para melhorar a qualidade da saúde e diminuir seus custos. Nós iremos utilizar a energia do sol e dos ventos e do solo para impulsionar nossos carros e fábricas. E iremos transformar nossas escolas e faculdades para que eles estejam à altura dos requisitos da nova era. Nós podemos fazer tudo isso. E nós faremos tudo isso.Agora, existem algumas pessoas que questionam a escala de nossas ambições – que sugerem que nosso sistema não pode tolerar muitos planos grandiosos. A memória dessas pessoas é curta. Porque eles esquecem do que este país já fez; do que homens e mulheres livres pode conquistar quando a imaginação se une por um propósito comum e a necessidade se junta à coragem.O que os cínicos não compreendem é que o contexto mudou totalmente – que os argumentos políticos arcaicos que nos consumiram por tanto tempo já não se aplicam. A questão que lançamos hoje não é se nosso governo é grande ou pequeno demais, mas se ele funciona – se ele ajuda famílias a encontrar trabalho por um salário justo, seguro-saúde que possam pagar, uma aposentadoria digna. Se a resposta for sim, iremos adiante. Se for não, programas acabarão. E aqueles dentre nós que gerenciam o dólar público serão cobrados – para que gastem de forma inteligente, consertem maus hábitos e façam seus negócios à luz do dia – porque só então conseguirmos restabelecer a confiança vital entre as pessoas e seu governo.Nem a questão diante de nós é se o mercado é uma força positiva ou negativa. Seu poder para gerar riqueza e expandir a liberdade não tem paralelo, mas esta crise nos lembrou de que, sem um olho vigilante, o mercado pode perder o controle – e a nação não pode mais prosperar quando favorece apenas os prósperos. O sucesso de nossa economia sempre dependeu não apenas do tamanho de nosso Produto Interno Bruto, mas do alcance de nossa prosperidade; em nossa habilidade de estender a oportunidade a todos os corações que estiverem dispostos – não por caridade, mas porque esta é a rota mais certa para o bem comum.Quanto à nossa defesa comum, nós rejeitamos como falsa a escolha entre nossa segurança e nossos ideais. Os Fundadores de Nossa Nação, que encararam perigos que mal podemos imaginar, esboçaram um documento para assegurar o governo pela lei e os direitos dos homens, expandidos pelo sangue das gerações. Esses ideais ainda iluminam o mundo, e nós não desistiremos deles por conveniência. Assim, para todos os outros povos e governos que estão assistindo hoje, da maior das capitais à pequena vila onde meu pai nasceu: saibam que a América é amiga de cada nação e de todo homem, mulher e criança que procura um futuro de paz e dignidade, e que estamos prontos para liderar mais uma vez.Lembrem-se de que gerações que nos antecederam enfrentaram o fascismo e o comunismo, não apenas com mísseis e tanques, mas com alianças robustas e convicções duradouras. Eles compreendiam que o poder sozinho não pode nos proteger e nem nos dá o direito de fazer o que quisermos. Em vez disso, eles sabiam que nosso poder cresce pro meio de sua utilização prudente; nossa segurança emana da justiça de nossa causa, da força do nosso exemplo, das qualidades temperantes da humildade e do auto-controle.Somos os guardiões desse legado. Mais uma vez, guiados por esses princípios, podemos encarar essas novas ameaças, que exigem esforços ainda maiores – ainda mais cooperação e compreensão entre nações. Nós começaremos a deixar o Iraque para seu povo de forma responsável, e forjaremos uma paz conquistada arduamente no Afeganistão. Com velhos amigos e ex-inimigos, trabalharemos incansavelmente para diminuir a ameaça nuclear e afastar a ameaça de um planeta cada vez mais quente. Nós não iremos nos desculpar por nosso estilo de vida, nem iremos vacilar em sua defesa, e para aqueles que buscam aperfeiçoar sua pontaria induzindo terror e matando inocentes, dizemos a vocês agora que nosso espírito não pode ser quebrado; vocês não podem durar mais do que nós, e nós iremos derrotá-los.Porque nós sabemos que nossa herança multirracial é uma força, não uma fraqueza. Somos uma nação de cristãos e muçulmanos, judeus e hindus – e de pessoas que não possuem crenças. Nós somos moldados por todas as línguas e culturas, trazidas de todos os confins da terra; e porque já experimentamos o gosto amargo da Guerra Civil e da segregação e emergimos desse capítulo sombrio mais fortes e mais unidos, não podemos evitar de acreditar que os velhos ódios um dia irão passar; que as linhas que dividem tribos em breve irão se dissolver; que, conforme o mundo fica menor, nossa humanidade em comum irá se revelar; e que a América deve desempenhar seu papel nos conduzir a essa nova era de paz.Para o mundo muçulmano, nós buscamos uma nova forma de evoluir, baseada em interesses e respeito mútuos. Àqueles líderes ao redor do mundo que buscam semear o conflito ou culpar o Ocidente pelos males da sociedade – saibam que seus povos irão julgá-los pelo que podem construir, não pelo que podem destruir. Àqueles que se agarram ao poder pela corrupção, pela falsidade, silenciando os que discordam deles, saibam que vocês estão no lado errado da história; mas nós estenderemos uma mão se estiverem dispostos a abrir seus punhos. Às pessoas das nações pobres, nós juramos trabalhar a seu lado para fazer com que suas fazendas floresçam e para deixar que fluam águas limpas; para nutrir corpos esfomeados e alimentar mentes famintas. E, para aqueles cujas nações, como a nossa, desfrutam de relativa abundância, dizemos que não podemos mais tolerar a indiferença ao sofrimento fora de nossas fronteiras; nem podemos consumir os recursos do mundo sem nos importar com o efeito disso. Porque o mundo mudou, e nós temos de mudar com ele. Enquanto pensamos a respeito da estrada que agora se estende diante de nós, nos lembramos com humilde gratidão dos bravos americanos que, neste exato momento, patrulham desertos longínquos e montanhas distantes. Eles têm algo a nos contar hoje, do mesmo modo que os heróis que tombaram em Arlington sussurram através dos tempos. Nós os honramos não apenas porque são os guardiões de nossa liberdade, mas porque eles personificam o espírito de servir a outros; uma disposição para encontrar um significado em algo maior do que eles mesmos. E ainda assim, neste momento – um momento que irá definir nossa geração – é exatamente esse espírito que deve estar presente em todos nós. Por mais que um governo possa e deva fazer, é em última análise na fé e na determinação do povo americano que esta nação confia. É a bondade de acolher um estranho quando as represas arrebentam, o desprendimento de trabalhadores que preferem diminuir suas horas de trabalho a ver um amigo perder o emprego que nos assistem em nossas horas mais sombrias. É a coragem de um bombeiro para invadir uma escadaria cheia de fumaça, mas também a disposição de um pai para criar uma criança que finalmente decidem nosso destino. Nossos desafios podem ser novos. Os instrumentos com os quais as enfrentamos podem ser novos. Mas os valores dos quais nosso sucesso depende – trabalho árduo e honestidade, coragem e fair play, tolerância e curiosidade, lealdade e patriotismo –, essas cosias são antigas. Essas coisas são verdadeiras. Elas foram a força silenciosa do progresso ao longo de nossa história. O que é exigido então é um retorno a essas verdades. O que é pedido a nós agora é uma nova era de responsabilidade – um reconhecimento por parte de todo americano, de que temos deveres para com nós mesmos, nossa nação e o mundo, deveres que não aceitamos rancorosamente, mas que, pelo contrário, abraçamos com alegria, firmes na certeza de que não há nada tão satisfatório para o espírito e que defina tanto nosso caráter do que dar tudo de nós mesmos numa tarefa difícil. Esse é o preço e a promessa da cidadania. Essa é a fonte de nossa confiança – o conhecimento de que Deus nos convoca para dar forma a um destino incerto. Esse é o significado de nossa liberdade e nosso credo – o motivo pelo qual homens e mulheres e crianças de todas as raças e todas as fés podem se unir em celebração por todo este magnífico local, e também o porquê de um homem cujo pai a menos de 60 anos talvez não fosse servido num restaurante local agora poder estar diante de vocês para fazer o mais sagrado juramento. Por isso, marquemos este dia relembrando quem somos e o quanto já viajamos. No ano do nascimento da América, no mês mais frio, um pequeno grupo de patriotas se reuniu em torno de fogueiras quase apagadas nas margens de um rio gélido. A capital foi abandonada. O inimigo avançava. A neve estava manchada de sangue. No momento em que o resultado de nossa revolução estava mais incerto, o pai de nossa nação ordenou que estas palavras fossem lidas ao povo: “Que seja contado ao mundo futuro... Que no auge de um inverno, quando nada além de esperança e virtude poderiam sobreviver... Que a cidade e o país, alarmados com um perigo em comum, se mobilizaram para enfrentá-lo.América. Diante de nossos perigos em comum, neste inverno de nossa dificuldades, deixe-me lembrá-los dessas palavras imortais. Com esperança e virtude, vamos enfrentar mais uma vez as correntes gélidas e suportar as tempestades que vierem. Que os filhos de nosso filhos digam que, quando fomos colocados à prova, nós nos recusamos a deixar esta jornada terminar, que nós não demos as costas e nem hesitamos; e com os olhos fixos no horizonte e com a graça de Deus sobre nós, levamos a diante o grande dom da liberdade e o entregamos com segurança às gerações futuras.”
LUZ.
N.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Colocando a "mão na massa"


Foto do Rev. Mauricio com o Presidente Nacional da Igreja Presbiteriana do Brasil. Rev. Roberto Brasileiro - Sábado – dia 25 de julho de 2009. Em Maringá – Paraná. No XII Encontro do Sínodo Norte do Paraná.

“Estais vendo a miséria em que estamos...” este foi o relatório que Neemias apresentou ao povo quando os reuniu para que tomassem uma decisão. O povo de Deus havia sido atacado e vencido por um exército inimigo. Toda a cidade estava arruinada. O lugar onde, no passado haviam festas e celebrações pelos grandes feitos de Deus, estava agora sendo lugar humilhação e vexame, lugar de desprezo e morte. Neemias, um homem do povo que vivia numa outra terra e que trabalhava como copeiro do Rei, em um lugar de segurança e estabilidade tendo uma vida muito confortável ficou incomodado com a situação em que sua não estava e resolveu “colocar a mão na massa” voltar à sua terra e reconstruir a cidade de Jerusalém.

Neemias reúne o povo, faz uma exposição do contexto atual que viviam e, desafia o povo a mudarem aquela realidade. Com certeza, muitos se opuseram porque o estrago tinha sido grande e não acreditavam que a cidade poderia ser novamente erguida. Mas, Neemias, não se importa com os pessimistas, o que ele quer é ser útil nos planos de Deus de que a humanidade se volte para Ele, seja erguida, restaure sua rota e experimente o milagre da restituição.

Neemias, depois de expor o relatório, anima o povo ao trabalho, convida-os para que juntos reedifiquem a cidade. Todos se dispõe e o trabalho começa. Se você ler o livro de Neemias vai descobrir que eles reconstruíram os muros da cidade em tempo recorde. Só mesmo um milagre de Deus. Eles venceram todos os obstáculos, continuaram firmes, acreditaram na obra de Deus e no trabalho de suas mãos e o melhor aconteceu. A cidade foi reedificada.

Estamos iniciando uma semana e eu te convido a acreditar que Deus pode mudar a tua história, a “colocar a mão na massa”, te convido ao trabalho. Talvez você questione dizendo que o estrago na sua vida foi muito grande. A minha resposta pra você é que, grande mesmo, foi o sacrifício de Cristo na cruz, para que a obra de Deus fosse completa. “Você pode até saber o que é capaz de fazer da sua vida, mas jamais imaginou o que Deus pode fazer em você, ou através de você”.

Deus quer reconstruir a sua vida nesta semana. Acredite e mãos ao trabalho. Saia do conforto e reconstrua a tua vida, a vida da sua família, da sua Igreja. A tua história.

Pastor Mauricio Baniski

12 PASSOS PARA VENCER O PECADO - Terceira e última parte


PARA VENCER O PECADO - Tem que ter Amor

Mt 22:36-40
Mateus 10:38-39

38 E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim.
39 Quem achar a sua vida perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á.

Há dois tipos de pecados, principalmente:

• Pecados de omissão: “quando deixamos de fazer aquilo que deveríamos fazer”.
• Pecados de Comissão: “quando fazemos o que não deveríamos fazer”

COMO O PECADO ENTROU NO MUNDO: Gen. 3: 1-13

1. Vontade da carne: “... No dia que dela comerdes...” V5. Na da há de errado em alimentar-se. Alimentar-se é uma necessidade física e legitima, Deus criou o alimento para que pudéssemos satisfaz essa necessidade. No entanto, Deus disse para não comer. A vontade da carne tem como objetivo nos afastar da vontade de Deus.(O diabo disse : Jesus transforme as pedras em pães – nem só de pães viverá o homem)

2. Vontade dos Olhos: “... se vos abrirão os olhos...” V5. O diabo estava dizendo: “Não liguem para o Deus diz, façam as coisas conforme os seus próprios olhos; Decidam vocês mesmos; Sejam autônomos”. A vontade dos olhos tem objetivo de nos afastar da palavra de Deus.(o diabo disse : Jesus atire-te do pináculo do templo abaixo – não tentará o Senhor teu Deus)

3. Soberba da vida: “... como Deus sereis...” V5. A promessa de que eles teriam poder para dominar. A soberba da vida tem como objetivo desviar o homem da adoração a Deus.(o diabo disse : Jesus tudo isso te darei se prostrado me adorares – Ao Senhor teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto)

• Ilustração: conta-se que um Beduíno (Árabe nômade do deserto) viajava pelo deserto, e é sabido que no deserto faz muito calor durante o dia e a noite frio excessivo. Ao término de sua jornada diária, resolveu descansar. Armou a sua tenda e amarrou o seu camelo fora da tenda. Cansado da viagem logo foi deitar. Acordou nas primeiras horas da noite e percebeu que o camelo estava com a cabeça dentro da tenda. Disse: “é meu companheiro de viajem, não faz mal ele aquecer ao menos a cabeça”. Algumas horas depois percebeu que o camelo estava com todo o corpo dentro da tenda. Disse: “Ele também tem o direito de proteger o seu corpo”.Na madrugada, acordou com muito frio e percebeu que o camelo estava levando a barraca nas costas, ele totalmente desprotegido. Assim é o pecado, quando menos o percebemos assumiu o controle de nossas vidas. Por isto, a necessidade de trata-lo.

• Jo 1:9-10 – “se confessarmos os nosso pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não temos pecados, fazemo-lo mentiroso e a sua verdade não está em nós”.

Deus fala de um posicionamento, de uma escolha do povo de Deus – Esta é mensagem para o povo de Deus, pois os que não conhecem a Palavra vivem na ignorância. Contudo muitos, que são cristãos, querem caminhar com Jesus sem abrir mão daquilo que agrada ao mundo. Se queremos agradar a Deus, temos de colocá-lo acima de tudo e de todos.

O MALIGNO QUER O LUGAR DE DEUS EM NOSSAS VIDAS.
Precisamos entender um princípio espiritual que está nele. - O diabo quer o lugar de Deus.

Como isto, acontece: Apesar de alguns loucos assumirem a adoração a satanás, o que não é muito comum, A estratégia mais comum é o engano a e subtilidade.

Tudo não passa de engano. Satanás usa tudo para roubar os louvores de Deus, usa o santo misturado ao profano para tirar a Glória que devido a Deus.

- Cuidado com os pontos de contato satânico dentro de nosso lar.
- A verdade é Jesus: (J.o 14-16) “Eu sou o caminho a verdade, e a vida, ninguém vai a o pai se não por mim”

TEM CRENTE DENTRO DO MUNDO E TEM MUNDO DENTRO DO CRENTE.

O QUE NOS FAZEM PECAR

O EU
Gálatas 2:20

A FALTA DE AMOR
Mateus 22:36-40

A FALTA DE SANTIDADE
1 Pedro 1:15-16

Nós cantamos atrai nosso coração, mas não queremos largar as coisas do mundo.
Vivermos uma vida segunda à vontade de Deus, como pai, mãe, esposa, esposo, filho, filhas, lideres e principalmente com Filhos de Deus, o eu dirige nossa vida:
Eu sou assim...
Eu não mudo mesmo....
Você me conheceu assim...

Não vivemos para termos harmonia em nossa vida, na nossa casa e na vida nosso irmão. Falta por Deus, por nós e pelo nosso próximo.

Temos que buscarmos uma vida de santidade, de intimidade com Deus e para isso é preciso deixar o EU de lado, amar a Deus o nosso próximo e a nós mesmo, assim vamos conseguir vencer os pecados que bate diariamente em nossas portas.

- Dizer que é evangélico é fácil , difícil é fazer a vontade do pai – Jesus disse : que o filho faz a vontade do pai.
- Se há muitos do mundo que imitam os cristão, há cristão que imita o mundo.

Imitam o mundo na “Sensualidade”. No mundo tudo gira em torno da sensualidade, si alguém quer vender “shampoo” , coloca uma mulher seminua para fazer propaganda.

- Alguns cristão não separa o vestir bem, com a sensualidade.
- GL 5,19 “As obras da carne são conhecidas e são prostituição, impureza, lascívia”. Sinônimo para lascívia e sensualidade.

- Desculpa dos Cristãos: “Não importa a roupa que visto; Deus vê o coração: Ora, se exterior não esta santificado, quando mais o coração.

Misturar o santo com o profano, essa tem sido a estratégia do maligno.

DEUS QUER QUE SEJAMOS A SUA BOCA

Deus quer que sejamos a sua voz na terra.

1 Pd. 2:9 “Nação santa... afim de proclamar as virtudes de Deus.

Deus nos concede muitas bênçãos. Mas saiba que existem dois tipos de Benção:
1- Bênçãos incondicionais, aquelas que dependem unicamente de Deus – Ef. 1:3-13;
2- Bênçãos condicionais, aquelas que são alcançadas quando cumprimos nossa parte no pacto.

O Diabo tem conseguido o seu propósito através de fofoca, inveja, contenda, ciúmes e o desejo mórbido de comentar a vida do outro.

O QUE DEVEMOS PRATICAR

I – UMA COISA EU SEI (Jo.9:25)
O homem curado da cegueira por Jesus sabia quem dera e da onde tinha vindo à resposta para a sua necessidade. Não sabia teologia, nem filosofia; mas sabia quem tinha sido tirado das trevas para a luz.

Esta é a coisa mais fundamental para alguém saber: que foi salvo das trevas para a luz, através do sacrifício de Cristo na cruz.

- É essencial saber o destino da alma.

II – UMA COISA FAÇO (FL.3:13-14)

Quem quer mudar algo em si mesmo, quem quer dar significado à sua existência toma uma atitude. A vida é uma corrida; quem não se movimenta não alcança alvos; quem se abate se cansa, desiste, não chegando ao seu objetivo.
Após saber o Evangelho, devemos praticar o Evangelho.

- Saber e fazer Conhecer e praticar

III – UMA COISA BUSCAREI (Sl.27:4)

Uma busca em três etapas.

a) Morar – buscar por um abrigo eterno.
b) Contemplar – experimentar a graça e a plenitude do Senhor.
c) Meditar – busca pelo conhecimento de Deus e de Sua Palavra.

CONCLUSÃO: A sabedoria consiste em aplicar, de forma prática.
Você sabe quanto pesa um copo de água,(isso depende de quanto tempo você segura). Assim é o pecado em nossas vidas, quanto mais demorarmos para confessar a Deus, mais ele vai pesar como lemos no salmos 32 :
1 Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.
2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui a iniqüidade, e em cujo espírito não há dolo.
3 Enquanto guardei silêncio, consumiram-se os meus ossos pelo meu bramido durante o dia todo.
4 Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio.
5 Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado.

UMA COISA EU SEI
UMA COISA FAÇO
UMA COISA BUSCAREI

Pratique todos os dias

MINISTRAÇÃO DO PRESBÍTERO EDSON NEI MOREIRA

domingo, 26 de julho de 2009

Hoje eu sei - Pastor Mauricio Baniski


Quando o sol se foi e tudo escureceu;
Quando veio o frio e o gelo cobriu minha alma;
A noite era uma eterna prisão.
Veio o medo, a angustia, a solidão.

Quando não sabia para onde ir;
Tudo o que tinha era o nada em mim;
Eu não queria mais viver para me ver morrer;
Não queria morrer e deixar de viver

Você chegou e disse: Vem a mim;
Eu não vou mais te deixar assim;
Hoje sei que o caminho passava por ali;
E, você sempre esteve em mim.

Você venceu em mim, Jesus;
Me cobriu de graça e me fez ver;
Que a noite fria de inverno era aquilo;
Aquilo que já habitava em mim;
Fui liberto. Você me salvou.

Nenhum pai fez sofrer
O filho que o amor gerou
Sem que fosse para ver crescer
Aquele a Ele quem amou.

Pastor Mauricio Baniski. - Há um amigo, porque sei que nada é por acaso e que o inverno que castiga e nos esconde é apenas o caminho para que cheguemos na primavera. Não esqueça amigo - NA NOSSA VIDA O NOVO É SEMPRE MELHOR - "Eis que faço novas todas as coisas - disse Jesus - As velhas já passaram."

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Heresias vs espiritualidade - Prefácio do Livro de Ivode Kleber



Tenho a honra de convidá-los para a noite de autografos do lançamento do meu livro. Local: Faculdade Arthur Thomas - Rua Prefeito Faria Lima, 400 - As 19:30 horas - na próxima sexta-feira, dia 31/07. Um abraço do irmão Pastor Ivode Kleber. Espero você e sua família lá.

Prefácio do Livro:

Prefaciar uma obra é sempre um ato meio herege. Há o risco permanente de poluir a imaginação do leitor em relação às páginas que se seguirão. Para o bem ou para o mal – já que o tema por aqui não escapará a algum tipo de heresia -, o apresentador ou o prefaciador de uma obra carrega grande responsabilidade: orientar uma boa leitura e estimular a curiosidade e o desejo de disputar as letras do texto vindouro. Se o empenho não for bem-sucedido, o veneno pode ser dos piores, ou seja, o predisposto leitor deixa de lado uma possível grande obra por conta de um mestre de cerimônias literárias despreparado para fazer a coisa certa.

Acredito que no caso do livro de Ivode Kleber, “Heresia vs. Espiritualidade: a heresia de ser espiritual vs. a graça de ser herege”, o prefaciador caminha por águas seguras, contornando marés suaves e desembocando em oceanos repletos de conteúdo, num maremoto de grandes reflexões, pertinentes, consequentes e verdadeiramente abrangentes.

Ser herege hoje é abdicar, de modo mais ou menos proposital (sem com isso deixar de ser autoalienado), do convívio com a diversidade, do inevitável e enriquecedor aprendizado em meios plurais. O livro que o leitor tem ora em mãos atravessa esta notável pista: todos nós, aprendizes de humanos em tempos de barbárie e corrosão do caráter – para falar com o sociólogo Richard Sennett -, somos a um só tempo iguais na diferença, diferentes na igualdade. A ciência disso nos aproxima da ideia de divindade, nos garante a sadia transcendência, nos aprimora em solidariedade e amor. Em uma palavra, a boa fé, para não deixar de ser ponte para a infinita capacidade humana de amar e partilhar, tem de ser unidade e diversidade, morada de todas as possibilidades em franca dialogia, honesto confronto de perspectivas e valores. E pensar que o autor dessa síntese tão grandiosa, Karl Marx, na sua análise de composição rica e múltipla das realidades sociais modernas, já sob os desígnios atrabiliários do capitalismo, foi tido por herege por quase dois séculos...

A mesma linhagem de personagens que condenavam, na emergência da Era Moderna, nos impulsos radicais e permanentemente inovadores dos séculos XVIII e XIX, todas as manifestações da diferença, da rebeldia, da reflexão livre e cuidadosa, convertendo-as publicamente em simulacros diabólicos e incorrigivelmente hereges, atravessou o século XX e inicia o nosso milênio distorcendo práticas coletivas, marginalizando movimentos sociais, cooptando insurgências, apagando corações revolucionários. É sobre parte desses acusadores da heresia, desses caçadores de consciências livres e autônomas, que trata o excelente livro de Ivode Kleber.

Em linhas extensas e densas de suavidade crítica e cordialidade cristã, a letra de “Heresia vs. Espiritualidade” sentencia sem pena nem medo do erro: os velhos vendilhões do templo transubstanciaram suas faces e práticas; trabalham hoje em horário nobre televisivo e seduzem maldosamente pelo calcanhar-de-aquiles da atual humanidade despedaçada, isto é, atacam-lhe a falsa origem do desespero revelado pela exclusão da sociedade de consuno e aparências. Justificam a pobreza pela indolência do pobre, massacram o desempregado como um ser sem fé, atordoam as liberdades de pensamento acusando-as de “possuídas”, “desviadas”. Num mundo que se quer prático, útil e dócil – estabelecendo claro parâmetro de déjà-vu com a sociedade disciplinar de Michel Foucault -, desvalorizar o pensamento livre é regra número um, condição indispensável para o massacre da utopia, da fé que deve, acima de tudo, propor o vigor da mudança, da revolução das singularidades. Nesse epicentro generosamente revolucionário do livro-ação de Ivode Kleber é que reside o vigor da hermenêutica, a ciência-arte de desvendar escritos sagrados, sentenças proféticas, missões de amor, paz, salvação. Heresia e hermenêutica, como pólos cúmplices de uma dialética de auto-sustentação, fundamentam, pois, a refinada ponte de argumentos em todo o manancial de translúcidas águas que são os capítulos-rios desta bem-vinda realização editorial.

Absortos entre o conhecimento verdadeiramente religioso (altruísta e humanizador, hermeneuticamente solidário e livre) e aquilo que Ivode Kleber define com humor e agudizado senso de fortuna como “igreja sem cruz nem Cristo”, vale-nos o espetáculo, ressoam em nossas mentes as palavras fáceis, edifica-se diante de nós o templo de pedra, iluminado por dezenas de sensores de câmeras de TV, sinais de dispersão para satélites... Uma pseudoespiri-tualidade, para novamente expor palavra-chave desse belo e urgente livro em questão.

A heresia, historicamente, é tida como parecer heterodoxo contrastante com problemas já resolvidos. A questão é: “Quem resolveu os tais problemas?” “Quais critérios alimentaram as respostas?” “Em nome de quem e sob quais interesses foram outorgadas as soluções?” Se no passado as estruturas religiosas estreitamente ligadas ao poder de Estado definiram que Giordano Bruno era herege, as mulheres, bruxas, a democracia, satânica... cabe ao mundo presente perceber como as ideologias disseminadas e badaladas pelas várias indústrias em atividade, materiais e imateriais, definem o que é certo e o que é errado, vaticinando como hereges todos aqueles que destoam da normalidade, fogem ao óbvio, questionam o fixo, o dado, o absoluto. Fora dos modismos musicais, políticos, estéticos e religiosos, tudo é heresia, tudo é desgraça. E em relação a essa última indelicada expressão, o livro de Ivode Kleber novamente provoca: certas igrejas, por se considerarem o elã da razão pós-moderna, veem-se cheias de graça, a ponto de condenarem o que possa haver de santo, forte, belo em todas as outras manifestações da fé, inclusive das irmanadas na cristandade.

No intuito vitorioso de deslindar a graça herege da cruz destemperada da fé virtualizante e de autoajuda, Ivode Kleber percorre vários traçados pelos capítulos e fragmentos do livro, reunindo a análise num esforço de totalidade muitíssimo bem sintetizado nos argutos apontamentos a respeito do poder simbólico em Pierre Bourdieu – que se esforçou por toda a vida para fazer de sua Sociologia um meio de restituição aos homens do sentido e das possibilidades de suas ações - e da ética da compaixão e da vida em Leonardo Boff, entre outras importantes reflexões. As passadas firmes do livro partem dos conceitos históricos e religiosos de heresia, opondo interferências analíticas clássicas e contemporâneas. Há forte passagem por injunções da Igreja Católica e subsequentes ações (des)medidas, como perseguições e fogueiras levadas a finco pela Inquisição e pelos Impérios, destacando Roma e sugerindo para o leitor, que sabe ser um simples pingo uma grande letra, a vã e trágica prepotência estadunidense na inquisição da modernidade líquida: procurar e destruir os inimigos da fé de listras vermelhas e brancas, quadrado céu azul, cinquenta estrelas estanques e desbrilhantadas... (Aliás, é em nome desses novos imperialistas que falam os pastores e padres da fé eletrônica, do culto seco e cego ao individualismo, à abundância material destinada a mais e mais consumo.) A síntese histórica do livro tem seu ponto alto na excelente triangulação teórica sobre a evolução da fé neopentecostal, curvada à condição de bolsa arrecadadora de esperanças frustradas pela senda capitalista de exclusão e expurgo e recentemente aquilatadas pela promessa de paraíso em vida, aqui mesmo na Terra. Uma forma bem carismática, digamos, de negar a fé como requisito essencial na elaboração permanente de um outro mundo, mais indicado aos nossos filhos e netos, compatíveis com o amor que dizemos nutrir por eles.

A maior das contribuições trazidas à luz por este importante livro de Ivode Kleber é, sem sombra de dúvida, a pujante lição de solidariedade expressa na comovente crença que esse jovem autor deixa transparecer em suas convicções religiosas e também cidadãs. Os últimos capítulos e toda a exegese que faz da atual questão ecológica e de premência ética desnudam essas virtuosidades. Para muito além da crítica fácil, normalmente descabida e gratuita, o talentoso escritor deste “Heresia vs. Espiritualidade”, acadêmico de Direito, teólogo e pastor presbiteriano, promove a reunião dos saberes, fustigando de modo contumaz as intolerâncias religiosas e civis, frisando o inevitável congresso da paz e da comunhão entre aqueles que desejam de fato continuar a lutar por um mundo fraterno e justo. No endosso dessa maravilhosa utopia de nosso tempo tão carente e descrente, Ivode Kleber dá a sentença da verdadeira fé: sem liberdade para pensar, responsabilidade para agir, encontro humano para avaliar e medir, autonomia para escolher e refletir, toda crença é, para dizer pouco, desnecessária e estúpida. Seu livro é a força-motriz da imensa máxima do saudoso historiador brasileiro Caio Prado Jr.: “É por ação que os homens se definem”. É isso.

Marco A. Rossi
Sociólogo, professor e pesquisador da
Faculdade Arthur Thomas, Londrina/PR
Inverno de 2009

As quatro questões mais importantes da sua vida


Leia: Hebreus 11.23-27

Moisés foi um dos grandes líderes que o mundo conheceu. Um homem igual a eu e você. Com suas marcas da vida e com seus medos. Um ser humano sem poderes ou capacidades além das que Deus deu a toda humanidade. Alguém que errou e acertou. A grande diferença que teve da maioria das pessoas que passam pela vida sem fazer história é que Moisés respondeu às quatro questões mais importantes da vida humana:

1) “Quem” ou “O que” é a sua autoridade? Um dia, Moisés decidiu quem era o seu dono. Quem daria as ordens e colocaria sua vida em ordem. Moisés fez a melhor escolha. Deixou Deus governar a sua existência. Esse foi o seu primeiro grande passo.

2) Qual é a sua Identidade? Ou, quem é você? As vezes passamos a vida inteira imitando os outros, querendo ser o que não somos. A vida de Moisés teve sentido quando resolveu descobrir e viver a sua verdadeira identidade.

3) Quais os teus valores? Os valores determinam a intensidade e os limites da nossa vida. Os valores nos posicionam, nos protegem. Nos permitem alcançar nossos sonhos. Eles preservam nossa identidade, nossa fé, nosso foco. Valores são as coisas que não negociamos. Que não tem preço. Estão na fé, no caráter, na missão da nossa vida, nas pessoas...

4) Quais as Prioridades da sua vida? Uma vez que eu sei quem governa minha vida, descubro quem eu sou, tenho meus valores, agora é a hora de determinar minhas prioridades. Elas me permitirão maior clareza no caminho. Uma vez que tenham sido estabelecidas me ajudarão a não perder tempo com coisas fúteis ou, mesmo importantes, mais que não são prioritárias. Moisés fez Isso. Por isso deixou sua marca na história.

Tenha um encontro com você mesmo e responda as quatro grandes questões da sua vida.

PASTOR MAURICIO BANISKI

A Maturidade é revelada no Caos


“É fácil reagirmos e pensarmos com lucidez quando o sucesso bate à nossa porta, mas é difícil conservarmos a serenidade quando as perdas e as dores da existência nos invadem. Muitas nessas situações revelam irritabilidade, intolerância e medo. Se quisermos observar a inteligência e a maturidade de alguém, não devemos analisá-las nas primaveras, mas nos invernos de sua existência.

Muitas pessoas, incluindo intelectuais, comportam-se com elegância quando o mundo os aplaude, mas perturbam-se e reagem impulsivamente quando os fracassos e o sofrimento cruzam as avenidas de suas vidas. Não conseguem superar suas dificuldades nem extrair lições das situações vividas.

Diferentemente de muitos pais e educadores, Jesus usava cada erro e dificuldade dos seus íntimos não para acusá-los e diminuí-los mas para que revissem suas próprias histórias.

O mestre da escola da vida não estava muito preocupado em corrigir os comportamentos exteriores dos mais próximos, mas sim em estimulá-los a pensar e expandir a compreensão dos horizontes da vida. Era amigo íntimo da paciência. Sabia criar uma atmosfera agradável e tranqüila , mesmo quando o ambiente a sua volta era turbulento. Por isso dizia: ‘Aprendei de mim, pois sou manso e humilde...’ (Mateus 11.29)

Sua motivação era sólida, tudo ao seu redor conspirava contra ele, mas absolutamente nada abatia seu ânimo. Repetia aos seus discípulos: ‘tende bom ânimo, eu venci o mundo’.”

Um maravilhoso texto para refletir. Contribuição da nossa querida irmã: IVONE A. LEANDRO

quinta-feira, 23 de julho de 2009

A Vida é da Maneira que Olhamos para Ela

video

A vida sempre foi um lugar difícil de se viver, sempre houveram guerras, pessoas más, dificuldades, barreiras, tropeços, catástrofes. As dificuldades que talvez você esteja vivendo hoje não é um privilégio do seu tempo. Em roupagem diferente, elas sempre maracaram presença na história humana. Então, porque pessoas venceram? Porque pessoas conseguiram olhar a vida com otimismo? Porque pessoas mudaram o mundo? Porque pessoas fizeram histórias de sucesso? Porque pessoas mudaram suas vidas completamente e foram o que queriam ser e alcançaram o que sonharam?

Venceram porque acreditaram que podiam, olharam a vida com otimismo porque se focaram nas possibilidades e não nas dificuldades, mudaram o mundo de fora porque mudaram o mundo de dentro. Fizeram sucesso, porque aproveitaram a oportunidade de viver enquanto muitos apenas se lamentam e vivem com defuntos desavisados, que continuam andando porque esqueceram de deitar. A vida é vida pra quem quer viver. E, viver é lutar, é caminhar entre pedras e espinho, é acreditar que pode voar, e vencer seus próprios conceitos e pré-conceitos, seus limites e deficiências.

Até quando você vai ficar ai sentado no seu desânimo, abraçado com sua derrota, usando os óculos com lentes de aumento das dificuldades, murmurando do seu destino, encostado em seus erros? Agora mesmo, tem gente correndo atrás, fazendo história, marcando o tempo com sua fé em Deus e sua vontade de vencer.

Assista o filme “A VIDA É BELA” e descubra que só existe um modo de viver a vida, é amando-a, a vida é uma viagem, cheia de aventura, encontros e desencontros, presença e ausência, fartura e falta. Com amor tudo muda, tudo se transforma, tudo acontece. Não deixe para amar a sua vida amanha. Não deixe para viver a sua vida, aqui neste mundo, quando chegar ao fim. Nessa vida aqui na terra, no fim a gente sempre morre. Não fique comparando a sua vida a dos outros. A VIDA SÓ É BELA QUANDO FAZEMOS DELA UM SONHO QUE TORNA A HUMANIDADE MELHOR.

Hoje, Deus te deu mais uma oportunidade. Saia do seu lugar de auto-destruição e faça o melhor que puder de sua vida. Pegue agora o martelo, os pregos, a inchada, o rastelo, a pá, o lixeiro, a caneta, a melhor roupa... enfim, todas as ferramentas e VAI VIVER!!!! Comece agora mesmo a cuidar do bem mais precioso que Deus te deu. A SUA PRÓPRIA VIDA.

Uma dica: A melhor maneira de viver é voltar-se para Deus. Entregar seu coração para Jesus, ler a bíblia, nosso manual de vida, todos os dias e buscar obedece. Na obediência à Palavra de Deus está O SEGREDO de uma VIDA VITORIOSA.

Pastor Mauricio Baniski (dia 23.07.09)

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Lição da Âncora


Um escritor inglês, do século passado, conta em uma de suas obras que na praia perto de sua casa, uma coisa muito interessante podia ser vista com freqüência:
Um navio lançando a sua âncora no mar enfurecido.
Dificilmente existe uma coisa mais interessante ou sugestiva do que essa.
O navio dança sobre as ondas, parece estar sob o poder e à mercê delas.
O vento e a água se combinam para fazer do navio o seu brinquedo.
Parece que vai haver destruição; pois se o casco do navio for lançado sobre as rochas, será despedaçado.
Mas observamos que o navio mantém a sua posição. Embora à primeira vista parecesse um brinquedinho desamparado à mercê dos elementos, o navio não é vencido.
Qual é o segredo da segurança deste navio?
Como pode resistir às forças da natureza com tanta tranqüilidade?
Existe segurança para o navio no meio da tempestade porque ele está ancorado!
A corda à qual ele está amarrado não depende das águas, nem de qualquer outra coisa que flutue dentro delas.
Ela as atravessa e está fixada no fundo sólido do mar.
Não importa quão forte o vento sopre ou quão altas sejam as ondas do mar...
A sua segurança depende da âncora que está imóvel no fundo do oceano.
Muitas vezes nos sentimos no meio de uma tormenta, sendo jogados pelas ondas da vida para cima e para baixo e açoitados pelo vento da adversidade.
Parece-nos, às vezes, que não conseguiremos sobreviver a determinados períodos de nossas vidas.
Sem uma vida espiritual, a nossa vida é como um navio sacudido pelo mar enraivecido das circunstâncias incontroláveis da vida.
Mas, confiando em Deus, experimentamos sua presença e amor como âncora da nossa vida.
Nos sentimos encorajados e esperançosos.
Essa esperança mantém segura e firme a nossa vida, assim como a âncora mantém seguro o barco.
Somente com Deus podemos estar seguros,e enfretar os ventos e tempestades da vida.

Lição das Estações



Um homem morava no deserto e tinha quatro filhos ainda adolescentes. Querendo que seus filhos aprendesse a valiosa lição da não precipitação nos julgamentos os enviou para uma terra aonde haviam muitas árvores. Mas ele os enviou em diferentes épocas do ano.

O primeiro filho no inverno, o segundo na primavera, o terceiro no verão e o mais novo no outono. Quando o último deles voltou, o pai os reuniu e pediu para que relatassem o que tinham visto. O primeiro filho lhe disse que as árvores era feias, meio curvadas sem nenhum atrativo. O segundo filho discordou e disse que na verdade as árvores eram muito verde e cheias de brotinhos, parecendo ter um bom futuro. O terceiro filho disse que eles estavam todos errados, porque elas estavam repletas de flores, com um aroma incrível e uma aparência maravilhosa! Já o mais novo discordou de todos e disse que as árvores estavam tão cheias de frutos que até se curvavam com o peso, passando a imagem de algo cheio de vida e substância.

Aquele pai então explicou aos seus filhos adolescentes que todos eles estavam certos. Na verdade eles viram as mesmas árvores em diferentes estações daquele mesmo ano. Ele disse que não se pode julgar uma árvore ou pessoas por apenas uma estação ou fase da sua vida. Ele explicou que a essência do que elas são, a alegria, o prazer, o amor, mas também aparentemente ruins que vem daquela vida só podem ser medidas no final da jornada quando todas as estações forem concluídas.

Se você desistir quando chegar o inverno, você vai perder as promessas da primavera, a beleza do verão e a plenitude do outono. Não permita que a dor de apenas uma estação destrua a alegria de todas as outras. Não julgue a vida por apenas uma fase. Persevere através dos caminhos dificultosos, e épocas melhores virão com certeza! Viva de forma simples, ame generosamente, se importe profundamente, fale educadamente e, deixe o restante com Deus.

A felicidade mantém você mais doce. Dores mantém você humano. Quedas te mantém humilde. Sucesso te mantém brilhando. Provações te mantém forte.
Mas só Deus te mantém prosseguindo

Texto: Usado no Encontro do Ministério Ágape (em 17/07/09)



terça-feira, 21 de julho de 2009

PERFIL DE UMA LIDERANÇA AVIVADA


Referência: ATOS 20.17-38

- Éfeso passa por um verdadeiro avivamento:
a) At 19.10 = Todos os habitantes da Ásia ouvem a Palavra
b) At 19.11,12 = Muitos fatos gloriosos - milagres de Deus
c) At 19.17 = Nome de Jesus engrandecido
d) At 19.18 = Confissão espontânea de pecado
e) At 19.19 = As portas do inferno saqueadas - queima de livros mágicos
f) At 19.23-40 = Contra ataque do inimigo.
- Igreja marcante = Fé e amor Ef. 1.15
- Paulo fala à liderança

I. PROFUNDO COMPROMISSO COM O SENHOR DA IGREJA - v. 19
- “...servindo ao Senhor.” = Servir é trabalho, é empenho, é mão no arado, é esforço. Paulo prega na cadeia, nas estradas, no templo, na sinagoga, na escola.
- Quem serve ao Senhor não vive reclamando, não vive murmurando, não fica lamentando dos irmãos e da igreja onde está.
- Quem serve ao Senhor não vive procurando elogios, bajulação, destaque. Não vive correndo atrás de promoção.
- Quem serve ao Senhor não vive querendo agradar a homens, fazendo da igreja de Deus uma plataforma de relações públicas, de concessões, para agradar gregos e troianos.
- Quem serve ao Senhor precisa ser humilde - Não há lugar para vaidade, auto-projeção, soberba - I Co 3 “Quem é Paulo? Quem é Apolo?”
- Hoje estamos precisando de homens que se comprometam mais com Jesus. Se a liderança não andar com Deus, o rebanho não vai andar. A igreja é um reflexo da sua liderança. Se a liderança falha, o povo falha. Se o líder não estiver na frente, o rebanho não terá ânimo. Exemplo: Quando Israel tinha líderes comprometidos com Deus, o povo se voltava para Deus.

II. PROFUNDO COMPROMISSO COM A ORAÇÃO - v. 19 “Com lágrimas...”
- Quem ora tem um coração sensível, quebrantado com a sua situação e com a situação do seu povo.
- Jesus foi um líder de oração. Orava só. De madrugada. Passava noites em oração. Orava a noite toda antes das grandes decisões. Orava na hora da dor, da tentação. Quando Ele orou o céu abriu e o Espírito Santo desceu sobre Ele.
- Paulo foi um líder de oração. Nenhum líder pode ser forte se não ora. Sem oração nossos projetos fracassarão: os grandes líderes foram homens de oração: Abraão, Moisés, Josué, Neemias, Paulo, Lutero, Calvino, John Knox, George Whitefield, Jonathan Edwards, Finney, Moody, Simonton.
- A igreja presbiteriana da Coréia = 5h a igreja toda orando. Vinte graus negativos e as mulheres com neve até o joelho. A igreja que não tem reunião de oração diária não é considerada igreja evangélica. Exemplo: APOCALIPSE 8.3-5

III. PROFUNDO COMPROMISSO COM A PALAVRA DE DEUS - v. 20,27
- Paulo pregou, ensinou, de casa em casa. Seu maior propósito de vida era testemunhar o Evangelho.
- Precisamos gastar tempo com a Palavra. Temos de ser impactados com a Palavra. Temos de orar para que a Palavra em nossa boca seja: FOGO como foi na boca de Jeremias; VERDADE como foi na boca de Elias. Precisamos pedir a Deus que a Palavra seja viva nas nossas mãos e ardente nos nossos corações.
- Temos que nos alimentar da Palavra para alimentarmos o rebanho.
- Dois riscos: 1) Quacres = luz interior sem a Palavra. 2) Ortodoxia gelada = palavra sem piedade Exemplo: Bordão na mão de Geazi não tem poder.
- Os grandes despertamentos começaram quando o povo voltou-se para a Palavra = Ezequias, Josias, Esdras, Atos 2, Ez 37, Éfeso, Tessalônica, Reforma Século XVI.

IV. PROFUNDO COMPROMISSO COM A VIDA PESSOAL - v. 28
- Cuidai de vós mesmos. Das 16 características do presbítero em I Timóteo 3, quinze falam do seu caráter e uma fala de sua capacidade de ensinar.
- Cuide de sua língua, de seu temperamento, cuide da sua mente, do seu lar, de sua esposa, de seus filhos, de seu testemunho, do seu trabalho, de seus relacionamentos.

V. PROFUNDO COMPROMISSO COM A IGREJA DE DEUS - v. 28
1. Vocês foram constituídos pelo Espírito Santo = vocação celestial.
2. Vocês foram constituídos bispos = guardiães. Vigiai o rebanho; v. 29,30 - cuidado com os lobos de fora e de dentro.
3. Vocês foram encarregados de pastorearem = cuidar, alimentar, curar, proteger, dar repouso, segurança às ovelhas de Deus.
4. Vocês são responsáveis por TODO O REBANHO = A igreja toda. Cada ovelha. Veja Ez. 34 > Ez. 34.1-6.
5. Vocês não são donos da igreja = Ela é de Deus. Vocês são mordomos, não proprietários.
6. Vocês cuidam de vidas muitos caras para Deus = Ele comprou cada ovelha com o preço do sangue de Jesus.

CONCLUSÃO
- “O mundo está para ver o que Deus pode fazer com um homem que se coloque totalmente nas mãos de Deus.” - Moody - “Eu aceito ser este homem.”
- Você quer ser um líder segundo o coração de Deus? Um líder modelo? Que Deus nos abençoe. Amém!

Pastor Hernandez Dias Lopes

O LÍDER EM VOCÊ (2)


O SEU NOME É A SUA MARCA REGISTRADA

MAESTRO/MAESTRINA - Compositor de Música,Regente de Orquestra
MAESTRIA - Grande saber
HARMONIA - A arte de Conciliar “Disposição bem ordenada entre as partes de um todo, suavidade, sonridade do estilo, arte de formar e dispor os acordes; acordo, paz, amizade; proporção; ordem.”

“Somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito.” ARISTÓTELES 
Design é função, e não forma – O que torna a tua vida interessante é a função que ela tem.

Só estabeleça parcerias com atores NOTA 10, afaste-se dos idiotas – Salmo 1, fique perto de quem te faz crescer.

Busque as mais altas qualidades – Mesmo nas coisas mais simples ou quando estiver sozinho, lembre-se você é o LÍDER.

“O Primeiro passo para o sucesso consiste em identificar seus próprios pontos fortes de liderança.”

Invista em você – Um curso, um livro, um bom filme, uma palestra, uma boa conversa, uma boa musica, um tempo de conversa com você mesmo. contemplação

Seja critico com as críticas – No que estiverem razão mude, o resto é lixo.

Exercite-se – A Mente; O Corpo; O Espírito.

"Liderança é fazer o que é certo quando ninguém está olhando.“ George Van Valkenburg

Descubra a sua paixão – A felicidade tem muito haver com a satisfação que encontramos fazendo o que amamos.

Celebre as suas realizações – Você merece um brinde a cada conquista.

Seja flexível – Você não é um gerentão é um líder. As vezes é preciso rever, mudar, reconhecer um erro, ouvir, retomar o caminho.

"Para ser um líder, você tem que fazer as pessoas quererem te seguir, e ninguém quer seguir alguém que não sabe onde está indo. “ Joe Namath

Desenvolva a Inteligência – Intelectual, emocional, dos sentidos. Lembre-se: Aqui, quanto mais, melhor.

Defina prazos e metas – É o material para se organizar a vida. As pessoas seguem quem sabe para onde está indo.

Faça tudo com amor – O amor é o equilíbrio da vida. É o que dá sentido a TUDO. Deus é amor; I Cor. 13.

PASTOR MAURICIO BANISKI

Lição do Carvão


O pequeno Zeca entra em casa, após a aula, batendo forte os seus pés no assoalho da casa. Seu pai, que estava indo para o quintal para fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chama o menino para uma conversa. Zeca, de oito anos de idade, acompanha-o desconfiado. Antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado:

- Pai, estou com muita raiva. O Juca não deveria ter feito isso comigo. Desejo tudo de ruim para ele. Quero matar esse cara!

Seu pai, um homem simples mas cheio de sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a reclamar:

- O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito isso! Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir à escola.

O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco cheio de carvão. Levou o saco até o fundo do quintal e o menino o acompa-nhou, calado.

Zeca vê o saco ser aberto e antes mesmo que ele pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo:

- Filho, faz de conta que aquela camisa branquinha que está secando no varal é o seu amigo Juca e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endere-çado a ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou.

O menino achou que seria uma brincadeira divertida e pôs mãos à obra. O varal com a camisa estava longe do menino e poucos pedaços acertavam o alvo. Uma hora se passou e o menino terminou a tarefa. O pai, que espiava tudo de longe, aproxima-se do menino e lhe pergunta:

- Filho como está se sentindo agora?

- Estou cansado, mas estou alegre porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa.

O pai olha para o menino, que fica sem entender a razão daquela brincadeira, e carinhoso lhe fala:

- Venha comigo até o meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa. O filho acompa-nha o pai até o quarto e é colocado na frente de um grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto! Só se conseguia enxergar seus dentes e os olhi-nhos.

O pai, então, lhe diz ternamente :

- Filho, você viu que a camisa quase não se sujou; mas, olhe só para você. O mau que desejamos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por mais que pos-samos atrapalhar a vida de alguém com nossos pensamentos, a borra, os resí-duos, a fuligem fica sempre em nós mesmos.

Moral da história:
• Cuidado com seus pensamentos; eles se transformam em palavras.
• Cuidado com suas palavras; elas se transformam em ações.
• Cuidados com suas ações; elas se transformam em hábitos.
• Cuidado com seus hábitos; eles moldam o seu caráter.
• Cuidado com seu caráter; ele controla o seu destino.

FAÇA REUNIÕES PRODUTIVAS

Objetivos de uma reunião:
• Comunicar decisões;
• Obter contribuições;
• Decidir;
• Certificar que os objetivos da reunião estejam claros para os participantes, evitando com isso o desperdício de tempo, confusões e ressentimentos.

Uma reunião bem estruturada deve abordar:
• Os objetivos;
• As pendências de reuniões anteriores, por isso é importante estabelecer uma memória escrita através de ata de cada reunião;
• As premissas, suposições e fatos pertinentes;
• As alternativas de solução;
• A relação custo x benefício e os riscos da solução da proposta;

Comportamentos que auxiliam:
• Preparar-se para uma reunião;
• Estabelecer uma pauta prévia formal com os assuntos a tratar e repassar aos convidados;
• Fixar-se nos objetivos da reunião;
• Participar e contribuir;
• Ouvir com atenção;

Comportamentos que atrapalham:
• Estar desinteressado;
• Criticar de maneira destrutiva;
• Gabar-se de que sabe;
• Ser o dono da verdade;
• Focar-se em detalhes e não em questões críticas;
• Desviar-se dos objetivos da reunião;
• Permitir interrupção de outras pessoas não convidadas, à reunião.
• Atender ao telefone, interrompendo o encontro;
• As Não buscar alternativas de solução.

Ao término da reunião, mantenha sempre o local limpo, organize cadeiras, mesas e jogue o lixo no cesto.

Nunca deixe papéis e copinhos de café usados sobre a mesa.

TENHA UMA ÓTIMA REUNIÃO SEMPRE!

O HÁBITO DO “NÃO” NECESSÁRIO


Quantos “NÃO” nós temos a capacidade de dizer neste dia? “NÃO POSSO”; “NÃO VOU FAZER”, “NÃO INSISTA”, “NÃO TENHO TEMPO”; “NÃO ME ATRAPALHE”... Infelizmente, bem poucos. Com medo de passar uma imagem de chato ou negativo, de não agradar as pessoas que gostamos ou, até as que não gostamos, de barrarmos o pensamento ou a atitude alheia, vamos dizendo “SIM” o tempo todo. Dizemos “SIM” para o que não gostamos, o que não queremos, o que não estava em nosso plano, para aquilo que não podemos fazer, ter ou ser. Dizemos “SIM” até mesmo quando sabemos que algo vai nos trazer prejuízo. Na maioria das vezes, por causa da nossa covardia, revestida por uma falsa imagem de bondade ou, poucas vezes pela nossa bondade mesmo, para o outro e, não para conosco mesmo, vamos dizendo SIM, SIM, SIM... E, procurando fazer positiva a vida do outro, desgastamos a nossa própria imagem e tornamos a nossa existência uma experiência negativa.

Quantas vezes, eu tive que ouvir as pessoas me chamando de desorganizado, centralizador, intrometido ou o metido a saber tudo. Não porque eu queria, mas porque fui dizendo “SIM” para tudo, negando assim a minha própria vontade. Não dizia “SIM” porque era uma pessoa extremamente boa e caridosa, na verdade muitas vezes me acovardei de falar o que queria e deveria falar, de ser quem realmente eu sou. Sei que as vezes temos que abrir mão para que se estabeleça a boa convivência, que vivendo em sociedade nem tudo é sempre como eu quero ou como gostaria que fosse, que as vezes preciso abrir mão, mas preciso ver se o “SIM” não tem sido um caminho mais fácil, porém destrutivo, de escapar da responsabilidade de dizer o que penso, ser quem realmente sou, ter realmente o que posso ter. O que eu penso, tenho e sou não pode ser negado por ninguém, quanto mais, por mim mesmo.

O casamento é marcado pelo “SIM” na cerimônia, mas se não existir também o “NÃO”, um acaba fazendo o outro refém de si. O “NÃO” é tão necessário e importante para uma relação saudável quanto o “SIM”. Com os filhos, os pais precisam aprender a dizer “NÃO”, e, em alguns momentos do crescimento, com certeza, dizer mais “NÃO” do que “SIM”. Isso é amar. Às vezes, um pai pode dizer, não digo “NÃO” para não magoar meu filho, na verdade, ele não diz “NÃO” para não se magoar. Com amigos, também acontece o “NÃO”, na verdadeira amizade o “NÃO” é tão necessário quanto o sim. Bom, sobre o trabalho e outros ambientes sociais nem é necessário falar. O “NÃO” é um instrumento libertador, educador, limitador, condutor e a atitude mais importante para se manter o Foco.

Sobre manter o foco digo que a maneira mais sadia de permanecer no caminho, rumo aos objetivos que você estabelece para a sua vida, seu dia, sua semana, seu mês, seu ano, sua vida é dizendo “NÃO” para tudo o que desvia, paralisa, retarda e dispersa os seus propósitos. Adquira O HÁBITO DO “NÃO” NECESSÁRIO

Os muitos “SIM” falados numa hora que não deveriam, na maioria das vezes, fazem com que as pessoas que o praticam e que o recebem, nunca cheguem aonde poderiam chegar. É, como se parássemos toda hora, em cada esquina, oferecendo atalhos e impedindo o próximo de crescer.

DIGA TODOS OS “NÃO” QUE FOREM NECESSÁRIOS, TODOS OS DIAS, VIVA MAIS E MELHOR.

Pastor Mauricio Baniski (21.07.2009)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

O LÍDER EM VOCÊ

“Seja um PADRÃO de qualidade. Algumas pessoas não estão acostumadas a um ambiente onde se espera excelência.” video
Qual a Imagem que
você tem de você?

O SEU NOME
É A SUA MARCA REGISTRADA

A SUA VIDA É O SEU EMPREENDIMENTO MAIS IMPORTANTE

Estou a procura de um lugar que precise de muitas reformas e concertos, mas que tenha fundações sólidas. Estou disposto a demolir paredes, construir pontes e ascender fogueiras. Tenho uma grande experiência, um monte de energia, um pouco dessa coisa de ‘visão’ e não tenho medo de começar do zero.” Curriculo de Steve Jobs

OLHANDO PARA MINHA VIDA... O MEU EMPREENDIMENTO... Eu Preciso…

Reformas e Concertos – ATITUDE

Fundações Sólidas – FUNDAMENTAR

Demolir Paredes – CONCEITOS/PRÉ-CONCEITOS

Construir Pontes - NOVOS SABERES

Ascender Fogueiras – ELIMINAR O LIXO

Usar toda experiência – ABRA O COFRE

Toda a Energia - FORÇA

Ter visão – FOCO

Não Temer o RE-Começo - RECOMEÇAR


Eu vou construir com excelência a minha marca Registrada

Inteligência – habilidade de pensar
Conhecimento – informação adquirida
Sabedoria – aplicação do conhecimento
Sob a Direção do Espírito Santo


PRECISO:

Trabalho – Arregace as mangas e comece a trabalhar imediatamente.

Encare as Decisões Dificeis – Mesmo que sejam dolorosas, devem ser encaradas.

Não se deixe levar pelas Emoções – Avalie o problema de forma objetiva, de cabeça fria.


Pastor Mauricio Baniski
Curso ministrado dia 20.07.2009 - primeira palestra

12 PASSOS PARA VENCER O PECADO – II Parte


QUINTO PASSO: Admitimos perante Deus, perante nós mesmos e perante a Igreja, a natureza exata de nossas falhas.

SEXTO PASSO: Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus remove todos esses defeitos de caráter.

SÉTIMO PASSO: Humildemente rogamos a Ele que nos livre de nossas imperfeições.

OITAVO PASSO: Continuamos fazendo o inventário pessoal e, quando estamos errados, admitimos e convertamos a rota.

Texto Bíblico: João 3.1-10

INTRODUÇÃO

Só há um modo de ser livre do PODER do pecado

CRENDO NA LUZ

“O povo que jazia nas trevas viu grande luz, e aos que vivam na região e sombra da morte resplandeceu-lhes a luz.” Mateus 3.16

“E assim, se alguém está em Cristo é uma nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” II Cor. 5.17

Só há um modo de ser livre da INFLUÊNCIA do pecado

SE APROXIMANDO DA LUZ

“De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas, pelo contrário, terá a luz da vida.” João 8.12
o “Pois outrora éreis trevas, porém agora sois luz no Senhor, andai como filhos da luz.” Efésios 5.8

Só há um modo de ser livre da PRESENÇA do pecado

NA VOLTA DE JESUS OU NA MORTE TERRENA

Por isso: “Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões.” Rom. 6.11,12

“Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Assim como oferecestes os vossos membros para escravidão da impureza, e da maldade para a maldade, assim oferecei agora os vossos membros para servirem a justiça para a santificação.” Rom. 6.19

Nosso espírito é redimido no ato da entrega da nossa vida ao senhorio de Cristo;

Nossa alma (sentimentos, emoções e pensamentos) vão sendo trabalhados ao longo da nossa caminhada, durante toda a nossa vida;

Nossa carne nunca se converte (por isso que a Bíblia diz que nosso corpo será transformado na ressurreição da carne).

• História da serpente entre os livros:

Certo dia um senhor na Índia foi para sua biblioteca, e tirou um livro da estante. Ao fazer isso sentiu uma pequenina dor no dedo, como uma picada de alfinete. Julgou que um alfinete fora espetado por alguma pessoa descuidada na capa do livro. Mas logo seu dedo começou a inchar, em seguida o braço, e então o corpo todo; e em poucos dias morreu. Não era um alfinete que estava entre os livros, mas uma serpente pequena e venenosa.

Assim é o pecado na vida humana. Um pequena picada, muitas vezes, não notamos que vai tomando conta até levar a morte à morte.

“Eu nasci em pecado” – Eu nasci picado por esta serpente e preciso de cura.

Todos nós fomos picados – todos somos pecadores – todos precisamos de cura – não de paliativo – mas de um poderoso antídoto capaz de nos livrar do poder, da influência e da presença do veneno mortal.

Nós aprendemos a linguagem da Igreja. Talvez nascemos na Igreja, aprendendo os princípios da Igreja, mas temos realmente a certeza que somos salvos? Aprendemos a linguagem, mas qual o significado?

Ter uma religião não nos garante uma vida eterna.

Abra sua Bíblia em: João 3.1-10

Nicodemos era um grande religioso, fariseu. Um dos mais importantes do seu tempo.

Segundo a tradição judaica, quem cumpria era aceitável no reino de Deus. Mas alguma coisa inquietava o coração de Nicodemos.

Foi a Jesus à noite – era uma pessoa importante, respeitada e pra ninguém ver ele procurando Jesus. Esperou a noite chegar.

Jesus não se encanta com a maneira que Nicodemos o trata, como se fossem iguais. Ele se achava importante. Jesus sabia que ele está inquieto.

Tenho feito tanta coisa. Sou completo, mas não sei se realmente to no reino.

Será que eu faço parte do reino de Deus

Entramos no reino quando nos submetemos ao senhorio de Jesus. CREIO E ME SUBMETO a Jesus.

Buscai em primeiro lugar o reino de Deus... Mateus 6.33

O que coloca você no reino é você nascer de novo. Fazer morrer a sua natureza terrena onde você é o centro e deixar nascer a natureza divina onde Cristo é o centro. Tudo é dEle, por Ele e, para Ele.

NASCER DE NOVO É O ÚNICO MEIO DE ENTRAR EM UMA VIDA
COM SIGNIFICADO APESAR DE QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA DA VIDA

I – O QUE É NASCER DE NOVO? João 3.1-3

É despir-se de uma auto justiça para revestir-se da graça.

É entrar em um relacionamento com Deus baseado em graça e não em obras - Efésios 2.5,8.

É viver um estilo de vida de obediência a Deus que resulta em um estilo de vida que reflete este Deus – amor, bondade, acolhimento, não julgamento dos outros, etc - João 10.10.

É sair do um estado de morte e ir para um relacionamento de vida com Deus - Efésios 2.1-5.

É estar salvo... “hoje estarás comigo no paraíso” Lucas 23.43.

Nascer de novo – é iniciar o relacionamento com Deus baseado em graça e em fé e não em merecimento.

Aquele que esta em Cristo é uma nova criatura.

II – POR QUE NASCER DE NOVO? João 3.7-13

Efésios 2. Porque sem Cristo estamos mortos

Ele era íntegro, mas precisava nascer de novo. Mesmo fazendo coisas boas, nossa natureza é pecadora.

Como posso nascer de novo (v.9) – a ficha parece que tava caindo; figura de linguagem. “ depois de tanto tempo andando como estou andando, achando que o que eu faço me torna salvo.” É difícil admitir que tudo o que fiz até agora não vale nada para contabilizar pra minha salvação.

É preciso crer. É Jesus apenas. Não é Jesus e a Igreja, Jesus e o batismo. É Jesus apenas!!! E as pessoas dizem, mas é só isso?

Jesus pagou o preço.

Porque religiosidade não nos leva a Deus.

Porque religiosidade ou vida aparente não nos purifica de nossos pecados.

Porque se não nascermos de novo não iremos para o céu depois da morte - João 3.13.

O que limpa sua ficha diante de Deus é crer no que Jesus fez.

“Não se surpreenda pelo fato de eu ter dito: É necessário que vocês nasçam de novo” – João 3.7

III – COMO NASCER DE NOVO? João 3.7-21

Somente nascemos de novo ou começamos um relacionamento real com Deus quando, a partir de uma entrega da nossa vida a Jesus Cristo, nos despimos de quem nós somos para sermos como Deus quer.

É preciso entender que nascer de novo é uma obra primariamente causada por Deus - João 3.5-7; Ezequiel 36.25-27.

É preciso uma admissão de pecado – Números 21.4-9.

É preciso crer na pessoa e obra de Cristo – João 3.16.

A entrada no reino revela uma vida de obediência – João 3.20,21;3.36; I Coríntios 5.17.

Para refletir...

1. Será que já nasci de novo?

2. Será que já entendi que nascer de novo implica viver uma vida que reflete Jesus no meu dia a dia, seja em casa, quando estou só, no mercado de trabalho, nos meus relacionamentos, etc.?

3. Já tenho certeza da minha salvação?

4. Será que é só isso? É só isso. Precisa entender que é pecador e clamar o perdão

5. Se você já nasceu de novo, as está em pecado, distante de Deus, hoje é o dia de voltar.

6. Se você já nasceu de novo, e agora a vida tanto faz obedecer ou não. Você precisa voltar, hoje é o dia. Uma evidência que nascemos de novo é a permanência no andar com Jesus.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Quando Deus fica em Silêncio


“Clamou Jesus em alta voz, dizendo: Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste? Mateus 27.46

O que fazer quando o que temos de Deus é apenas o silêncio? Deus nem sempre responde na hora, da maneira ou o que esperamos. Às vezes, Ele simplesmente se cala, e o nosso clamor ecoa pelo universo da nossa dor. Nessas horas, muitas vezes, nos sentimos sozinhos, sem o amparo ou a presença confortadora do nosso Pai Celestial. Mas Ele continua ali. Deus sempre está com a gente.

Deus continua presente, porque Ele mora em nós. Presente, porque nos ama. Presente, porque ainda que, sem som ou palavras, o seu silêncio também fala. Presente, porque tem um propósito eterno pelo qual nos guia. E, mesmo passando por caminhos sombrios e tempestuosos, que parecem não ter fim, por desertos e vales pelo qual não acreditamos conseguir atravessar, Ele está no controle e sabe o que faz. Ter fé é saber que não vamos ficar ali, que não vamos sucumbir, mas seremos conduzidos a um lugar próspero e seguro, porque Deus cuida de nós.

A presença de Deus é sempre real. Ele está o tempo todo presente. Jesus também sentiu o gosto amargo do silêncio de Deus. Chegou a reclamar o desamparo divino quando estava na cruz. Mas, Ele conhecia o caráter do Pai. Sabia que Deus tinha um projeto eterno e que a sua entrega não seria em vão. Permanecer fiel a Deus e continuar crendo em seu amor, mesmo quando Ele silencia é uma escolha que sempre redunda em benefícios para quem a faz.

Pastor Mauricio Baniski

Por Todo o Caminho... – Por Rev. Mauricio Baniski


Quero estar debaixo do teu olhar
Observado pelo Seu amor
Pois como criança;
Caminho entre pedras e espinhos;
Entre vales e montanhas e
Nem sempre sou sábio o bastante
Para caminhar sem tropeçar
Sem pisar em pedras ou espinhos
Sem desviar o olhar de Ti

Quero que segure firme a minha mão
Pra eu não sair de Tua presença
Pra eu não me perder por atalhos
Pra eu não ficar fora do Caminho
Pois, só há um jeito de chegar;
Se a Tua presença for à frente
Se a Tua mão me sustentar
Não quero parar de seguir
Não vou desistir do Teu amor

O Caminho é estreito e sempre novo
As vezes por horas tenho que esperar
Para mais um passo poder trilhar
E, entre encontros e desencontros
Vejo também outros a caminhar
Com a mesma fé e o mesmo amor
Dependendo de Ti, para chegar
Aonde a mais linda paisagem eu vou ver
A Tua imagem em mim nascer

Rev. Mauricio Baniski